.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 21 de março de 2017

Requalificação e agitação e propaganda...

Esta é uma imagem real da erosão costeira a sul do quinto molhe da Praia da Cova. 
Esta foto de Fevereiro de 2016, dispensa as palavras... 
Daí para cá o problema agravou-se. 
Tudo, por aqui,  foi dito ao longo dos anos e pode ser consultado...  
Quem de direito, deve saber, mas continua a atirar para canto e o dinheiro é gasto em todo o lado, menos onde é mais necessário.
Os projectos de requalificação da Baixa, Buarcos e Cabedelo, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), foram apresentados ontem, na reunião de câmara.

CABEDELO
"Na margem sul da cidade, o Cabedelo vai ser transformado através da organização do espaço, dando prioridade ao reforço  do cordão dunar e às zonas de lazer, turismo, surf e recreio. 
A estrada e o estacionamento vão ser “encostados” para o interior da zona portuária.
Por seu turno, o parque de campismo vai deixar de existir
Não foi avançada a estimativa dos custos daquela intervenção, que será a primeira fase de um projeto mais abrangente."
BAIXA
"A intervenção vai centrar-se nas duas praças (General Freire de Andrade e 8 de Maio) e ruas adjacentes (Combatentes, Santos Rocha, Restauração, Galamba Marques, Bombeiros Voluntários, Travessa da Lomba e Silva Fonseca). Na Baixa, serão, também, introduzidas alterações de trânsito e criados espaços de estacionamento para moradores e de curta duração. Os ecopontos e os contentores de lixo orgânico serão enterrados, para minimizar o impacte visual. Naquela zona da cidade, bem como nas outras duas áreas de intervenção, vai ser dado mais espaço aos peões e aos ciclistas, com construção ou alargamento de passeios e zonas cicláveis. Por sua vez, em diversas artérias, os automóveis não poderão circular a mais de 30 quilómetros 
por hora. A praça General Freire de Andrade, por seu lado, prolongar-se-á até ao largo Luís de Camões e terá uma ligação direta à avenida. As obras estão orçadas em 2,8 milhões de euros e incluem substituição de infraestruturas básicas. A Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz será envolvida na análise que a autarquia vai fazer ao projeto."
BUARCOS
" Vai receber obras entre o terrapleno e as muralhas, tendo como objetivo clarifi cara a estrutura urbana e a valorização dos espaços pedonais. Naquele sentido, o projetista propõe reduzir nas rotundas e aumentar nos espaços para peões, dos atuais 47 por cento para 75 por cento. Os restantes 25 por cento serão distribuídos em duas partes: 23 por cento para automóveis e dois por cento para zonas mistas. A área do jardim também será alargada e arborizada. O projeto prevê obras no valor de 2,5 milhões de euros."
Via AS BEIRAS

Nota de rodapé.
Chateia-me ver gente a meter os pés pelas mão.
Chateia-me quando vejo alguém misturar alhos com bugalhos.
E, na Figueira, os ciclos da estupidez dos "quens de direito" sucedem-se... 
Há gente, como eu, que desejava isto ou aquilo! 
Eu contentava-me com pouco: conseguir domar a estupidez. 
Sei que não peço pouco, mas a formular um desejo era esse o meu escolhido. Se calhar depois aborrecia-me... 
Penso que era Claude Chabrol que dizia:  "a estupidez é infinitamente mais fascinante que a inteligência, pois a inteligência tem os seus limites. Mas a estupidez não!"
E este executivo camarário aí está para o provar.
"Figueira com rumo!..
Nem em ano eleitoral...
Mas, isto não são horas para se pensar em problemas deste jaez.
Há que ter juízo, pegar na bicicleta, e ir beber um café ao Cabedelo.

Sem comentários: