.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 30 de junho de 2015

Tanto folclore…

O 41.º FestiMaiorca-Festival Internacional de Folclore de Maiorca regressa a 15 de julho e prolonga-se até ao dia 23. Ritmo, dança e muita cor serão distribuídos através da presença dos vários grupos internacionais, nacionais e locais. 
Este ano, o festival conta com mais dois dias de folclore. A garantia foi dada ontem, pelo presidente da Casa do Povo de Maiorca, que organiza o evento, em conjunto com a autarquia figueirense. 
A qualidade do FestiMaiorca foi, por seu turno, enaltecida pelo presidente da Câmara da Figueira da Foz. “É um festival muito heterógeno e para nós tem sido motivo de grande satisfação. Por isso, a câmara municipal acompanha a promoção deste evento”, afirmou João Ataíde. 
O FestiMaiorca está orçado em 30 mil e a autarquia figueirense apoia o certame em cerca de 13.900 euros (10 mil financeiro e 3.900 logístico).

Em tempo.
Tantas Câmaras por este País fora que baixaram o IMI e o IRS aos seus munícipes!..
Efeitos eleitoralistas, certamente, mas, ainda assim, a Figueira ainda não faz parte da lista. 
Por aqui, tudo o que se puder fazer pagar aos contribuintes será pouco para tanto folclore
Qualquer político de meia tigela, mas ambicioso, sabe que para conseguir controlar o eleitorado do qual depende, tal desiderato passa pela estratégia da distracção o mais contínua e continuada possível
Tal estratégia, consiste basicamente em desviar a atenção da populaça eleitora dos assuntos importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e económicas, mediante a técnica de informações contínuas e distracções abundantes. “Pequenas coisas” e informações insignificantes também servem o mesmo fim. 
A estratégia tem ainda como objectivo manter a atenção da populaça eleitora ocupada, alienada e distraída, portanto, longe dos verdadeiros problemas sociais, presa a temas menores e sem importância real no seu dia a dia. 
O que interessa é que o futuro eleitor esteja ocupado – quanto menos tempo para reflectir e pensar, melhor para os objectivos do político de meia tigela
Aliás, para estes políticos o eleitor ideal seria aquele que “voltasse aos tempo do pasto como os outros animais”
É para isto que servem os parques de merendas, os futebóis, os carnavais, os festivais de piratas, os folclores, com que enchem as nossas vidas.

2 comentários:

Anónimo disse...

Camarada essa de politicos de meia tijela tá bem metida.
Sao as tijelas que nos hão-de levar um dia.
Nao te esqueças que é com papas e bolos que se enganam os tolos

João disse...

Tudo se consegue quando a direcção da organização é do PS.
Dinheiro gasto em palhaçada.