.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 23 de abril de 2013

As pessoas boas


No fundo, no fundo, bem lá no fundo, Portugal tem um problema que não deveria ser um problema, antes um motivo de orgulho: Portugal tem demasiadas pessoas boas.
Só assim se compreende que ninguém queira arriscar chafurdar na pocilga em que se transformou a arena governativa nacional…
Hoje, via  As Beiras, fiquei a saber que o Barbosa, lá de Coimbra, também discorda do passadismo.
"O presidente da câmara, Barbosa de Melo, mostrou-se ontem preocupado com o “aniquilamento” em curso no Hospital dos Covões através da sua integração no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).
Instado a pronunciar-se sobre a possibilidade do serviço de urgências daquela unidade encerrar ao fim de semana, depois de já terem fechado entre as 20H00 e as 09H00 – medida que terá sido revelada ao vereador socialista Carlos Cidade –, o autarca afirmou que uma decisão como esta “não é aceitável”."
Sinto-me sufocado.
Lá fora, está uma madrugada  agradável.  
Abro a janela para refrescar e levo com uma brisa vinda do rio com cheiro a cravos, o que dá para desanuviar da  imagem deste governo nauseabundo que quer enterrar, de vez, com o que ainda resta do 25 de Abril de 1974.
Pensando bem, sempre deu, pelo menos, para disfarçar  o cheiro  que  caracteriza  estas manifestações hipócritas de pretenso  bairrismo destas pessoas boas,  que nos entram constantemente pela casa dentro…
Além do mais, este pretenso bairrismo já não é fresco. É congelado e, pelo cheiro, já está estragado.

Em tempo.
Atenção bairristas de meia tigela. Isto está a tornar-se perigoso. 
«Dá ideia que, agora, uma pessoa até tem medo de criticar o Governo. Começa a criticar o Governo e é chamada para o Governo.»

Sem comentários: