.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

«JOSÉ ALBERTO»

Lugre bacalhoeiro de casco de aço e com quatro mastros construído em 1923 na Dinamarca, no estaleiro da firma H. C. Christensen, de Warstre. Foi baptizado pelo seu primeiro proprietário (Red. Damp-og Seilskibs A/S, de Marstal) com o nome de «Caroline» e navegou com carga geral até 1935, ano em que foi adquirido pelos armadores portugueses da Sociedade de Pesca Oceano Lda, da Figueira da Foz. Segundo várias fontes, o «José Alberto» retomou o nome do primeiro navio da cidade da foz do Mondego a ser preparado (em 1902) para a pesca do bacalhau. O lugre de 1935 apresentava 687 toneladas de arqueação bruta e media 60 metros de comprimento fora a fora por 9,90 metros de boca por 3,50 metros de pontal. Podia carregar mais de 11 000 quintais de peixe salgado. Foi-lhe adaptado, em 1937, uma máquina Deutz de 480 bhp de potência. A sua tripulação compreendia 69 homens entre marinheiros e pescadores. Foi seu primeiro comandante (até 1939) o capitão João de Deus. Depois de muitos anos de serviço útil nos longínquos mares do Canadá e da Groenlândia, o «José Alberto» perdeu-se -durante a campanha de pesca de 1968- na zona de Virgin Rocks (Terra Nova), devido a um incêndio que se declarou a bordo e que não foi possível extinguir. Felizmente todos os seus homens puderam colocar-se a salvo antes do soçobro deste malogrado navio bacalhoeiro, que deixou imensas saudades na população figueirense.

Via A Ler Navios

Sem comentários: