Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

domingo, 14 de abril de 2013

Profundo PSD

O Conselho Nacional do PSD aprovou um voto de louvor ao militante Miguel Relvas, no dia em que este deixou o Governo, subscrito, em primeiro lugar, por Sabrina Furtado, Luís Montenegro e Luís Menezes.
O documento descreve a atuação de Miguel Relvas como "de inexcedível lealdade à causa pública posto ao serviço de Portugal e dos portugueses" e enaltece "o seu contributo como militante e dirigente do partido, particularmente nos últimos cinco anos".

1 comentário:

Anónimo disse...

Se não fosse Miguel Relvas, Passos Coelho não seria presidente do PSD nem primeiro-ministro.
Hoje, ninguém tem duvidas de que isso foi péssimo para o pais. Mas foi óptimo para o PSD.
O resto - o desemprego, o deficit, o aumento da divida, o empobrecimento dos portugueses, o descalabro da economia, a miséria - não interessa nada para os conselheiros do PSD...