.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Vamos ter cá o fantástico Santana…


imagem sacada daqui
Considero verdadeiramente fantástica a capacidade, que este ex-presidente da câmara municipal da Figueira da Foz, tem para continuar a projectar a voz em todas as suas intervenções políticas - na Figueira e no País!.. 
Do assunto mais comezinho à questão mais importante,  Santana engrossa o aparelho fonador e, qual barítono de opereta, faz estrondear as suas sentenças políticas sobre os amedrontados adversários políticos e jornalistas.
Sim, amedrontados... E eu não os censuro.
Confesso, aliás, que se eu fosse seu adversário político ou  jornalista  e tivesse de enfrentar a fúria retórica deste ex-presidente da câmara municipal da Figueira da Foz ficaria cagadinho de medo. Acham que estou a exagerar?.. Olhem em redor - para a Figueira e para o País.
Como certamente já perceberam, sou, desde sempre,  um atento  fã deste homem. 
A sua voz denota firmeza, carácter, força, convicção, pujança, ímpeto e integridade - talvez não por esta ordem, mas tudo isto ao mesmo tempo. 
Sim, porque aquela voz  só pode brotar de um genuíno e puro desejo de fazer o bem-comum. E aquele ribombar das palavras requer a certeza de quem sabe o que está a fazer e não admite dúvidas ou opiniões contrárias, porque estas são pura e simplesmente inadmissíveis,  por ignorantes.
É claro que,  em certas situações, todo este troar eloquente já chegou a ser um pouco ridículo... 
Mas, isso, foram as excepções…
  
Em tempo e antes que seja tarde de mais...
Não obstante toda a minha admiração, espero que o Santana nunca venha a ler este post. 
É que eu não o quero ver aborrecido comigo.
Pensando melhor, talvez este post não tenha sido uma grande ideia. 
Vocês não lhe digam nada, ouviram?..
Vejam lá!..  É que não posso correr o risco que se pense que estou a brincar com quem tem uma voz e um peso, que todos conhecemos e reconhecemos. 
Na Figueira... E não só!

1 comentário:

Anónimo disse...

Se a (muita) pesada herança não fosse trágica, dava vontade de rir.

O anónimo de ontem