.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

6 comentários:

Anónimo disse...

É estranho, mas as três resposta, a), b), e c) estão correctas, ou não?

Anónimo disse...

Óh Sr. Campos, aqui ninguém opina clandestino...toda a gente se conhece...uns mais, outros menos...até existem uns que pensam que conhecem toda a gente, outros pensam que não são conhecidos, mas que conhecem toda a gente...Uns desforram-se, a maioria de nós somos medíocres, e também invejosos, aliás essa é uma característica bem portuguesa! O Malato? mas quem é o Malato? Mora onde? Nas novas urbanizações? É que ninguém conhece esse nome. E repare que já me fartei de perguntar pela freguesia toda e nicles... Repare bem, acha que há alguma remota hipótese de escolha ? Não me parece...de nós deve-se esperar sempre muito pouco...já demos tudo no último peditório! Agora que todos nos divertimos...ah! isso divertimo-nos!!! Cá vamos cantando e rindo...é a vida!

Anónimo disse...

...
Ao anormal dito Pelágio: eu não sou dito, o meu nome é mesmo Alexandre Jorge Loureiro Campos, sempre assumi o que digo, e, mais, cito o meu camarada Álvaro Cunhal:
"Fundamentar acusações e intrigas no anonimato é uma coisa muito indigna, tanto na política, como nas questões pessoais".
...

Exmo. Sr. dito de Alex, socorrendo-me da citação do camarada Alvaro Cunhal (aqui ressalvo a omissão propositada de; "o meu" por ser redundante, bacoco e provinciano. Aliás, o sentido de posse que pretende insinuar a tão enorme personalidade assume-se como atitude egocêntrica e de umbigo descomonal.)
Bom, como dizia, a citação cataloga todos os anónimos como indignos e, não contente com isso, o Excelso dito Alex, classifica-os de ANORMAIS.

Eu, Pelágio, considerado entre outras coisas de anormal desde o século IV, até o considero um elogio.
Mas, se o excelso dito de Alex fizer um esforçozito entenderá estar a considerar ANORMAIS a:
bakunin, Martinha Lacerda, Ti Hortência do Iselindo, Beira-Mar, Distribuidor de Rebuçados, Tamariz, dama de copas, eles comem tudo, Zé da Lota, pezinhos de lã, Borra a Pintura, socio a antiga, zé dos percebos, PIETRA, etc,etc, etc, e tal....

Passe bem
Ah, quasi me passava... Se tornar a ler o meu comentário anterior de forma mais atenta e inteligente (penso que seja capaz) verificará que eu, Pelágio, não faço acusações e muito menos intrigas, antes discuto e crítico ideias e conceitos.

... e diverto-me e diverte-me, é verdade sim senhor.

Pelágio
Anno de 384 D.C.

Anónimo disse...

òÓ aqui mocho pensante chama terra
(/
" " favor...enviar...sonda...anormais...aproximam-se...velocidade estonteante...ponto...

Anónimo disse...

Oh meu querido Pelágio, é da mais elementar justiça eu agradecer-lhe ter vindo em minha defesa, mas não era caso para tanto, porque o que eu depreendi das palavras do tal que se tem em inaudita conta, um comunistoidezito de trazer por casa, como Vª Exª muito bem diz, os nomes que aponta nem sequer foram atingidos. Penso que foram outros que na realidade têm usado nicknames para falarem de questiúnculas pessoais.
Mas o que impertigou o querido foi o tal considerar o João Paulo II um agente do terrorismo internacional. Olhe que eu também penso assim. Vejamos: a sua atitude em relação à Teologia de Libertação, o seu papel fundamental na desagregação da Jugoslávia, acto que provocou nem sei quantos mortos, e eu que ainda há tempos estive a falar com duas pessoas do Montenegro, um é filho de um servio e o outro é filho de uma croata que me disseram que nunca tinha havido quezílias entre eles. É sabido que se o capitalismo(terrorismo) internacional lucrasse com a divisão da Espanha ou da França, ela se daria. Porque um basco é diferente de um galego, ou um andaluz de um catalão.
Agora, querido, o que você propõe para discussão é tanta coisa que na outra noite eu e o meu marido nos pusermos a discutir que não demos pelo tempo, nem fomos para a cama, ainda estavamos a discutir no sofá e já eram quase 7 horas quando demos pelo tempo.
Dos nomes que falou, olhe sou sincera, não gosto do bakunin, parece um tanso metido à esquerda mas que deve ser algum demagogo como o nosso Sócrates. Olhe de quem eu gosto é da ti Hortênsia, uma mulher sem muita instrução, mas inteligente e perspicaz, deve ser boa senhora, faz-me lembrar a minha avó.
Diga-me uma coisa querido: vai votar no referendo do dia 11/02?
eu digo-lhe já que vou votar sim, alíás digo-lhe mais, eu já abortei uma vez, ainda era solteira, mas o meu marido sabe, não tenho segredos para ele.
Já agora vou-lhe dizer uma frase de um advogado metido a político, não lhe digo quem é, adivinhe querido: "Se o aborto é um mal, o aborto clandestino é uma catástrofe".
Olhe, sem anónimatos, muitos beijinhos da Ruth Rafaela.

Anónimo disse...

Ó dona Ruth, devo-lhe dizer que os sentimentos são reciproquos.
Agora, outra coisa, estou farto de frases, ou tiradas, de comunas, porques esses tipos é que foram os culpados da derrota de 36/39. OK?
Então saia dessa.