Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

domingo, 3 de dezembro de 2006

3 comentários:

Anónimo disse...

Senhor Fernando Campos:
Não tenho o prazer de o conhecer. Estou há vários anos fora da minha Terra, aqui nesta diáspora americana vou tentando acompanhar o que se vai passando por esse meu Portugal, que por mais madrasto que seja, permanece no meu coração.
Através deste blog, que está a prestar um autêntico serviço público, não só aos covagalenses aí residentes, mas principalmente a nós os que estamos longe fisicamente, acompanho a vida da Cova e Gala.
Foi assim que tomei conhecimento da sua veia artística e do seu humor. Desde já aceite as minhas felicitações, pois estou em crer estar em presença de um artista de altíssimo quilate, que veio tornar ainda mais interessante uma visita a este blog.
Sobre o cartoon tenho a comentar o seguinte:
Considero que as Colectividades, cumprem um papel fundamental na vida das aldeias, promovendo a prática desportiva, actividades recreativas, culturais, e acções que conduzem a uma maior coesão social;
Considero que teria importância uma relação permanente e transversal da Câmara da Figueira com as Colectividades para tornar mais eficaz a cooperação, a articulação, o desenvolvimento de estratégias comuns.
Considero que seria positivo a criação de um Gabinete de Apoio às Colectividades, na Câmara Municipal de forma a permitir ao vereador do pelouro dispor de um importante instrumento para o diagnóstico, acompanhamento, dinamização e concretização dos objectivos a que se propõem as colectividades ;
Esse Gabinete teria, entre outros, os seguintes objectivos:
a) Promover e aperfeiçoar os critérios e o processo de atribuição de apoios e subsídios às Colectividades;
b) Definir uma estratégia de apoio a estas Colectividades que, de acordo com as possibilidades da Autarquia de forma a dar corpo a programas de colaboração com as Colectividades;
c) Efectuar o levantamento exaustivo de todas as situações em estreita colaboração com as associações e federações representativas, com as Juntas de Freguesia, bem como com todas as outras instituições com responsabilidades no sector.

Mas alguém está interessado em estabelecer regras claras de convívio entre as colectividades e as autarquias?
Assim, sem regras tudo é mais fácil: o amiguimismo e os favores tem terreno fértil para dar frutos em tempo de eleições....
Embora longe, penso que tudo continua na mesma como quando deixei o meu país...

Anónimo disse...

Deixa-te estar aí, bem longe.
Isto está pior do que quando daqui saíste. Muito pior. Está sempre a piorar.

Anónimo disse...

A estratégia esclarecida terá alguma coisa aver com a globalização?
Já agora, deixem-me parafrasear um grande escritor sul americano: "Devemo-nos alegrar quando morre um filho da puta". Isto porque o Pinochette está a esticar o pernil, mesmo com 30 anos de atraso, alegremo-nos.