.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

"Radigrafia", revela o Bairro Novo em números e propostas

O Bairro Novo, construído no século XIX, continua a ser o coração turístico da cidade.
A Associação do Bairro Novo, agora liderada pelo empresário Álvaro Tomás, resolveu fazer uma “radiografia” à zona “chic” da cidade, estudo suportado por duas empresas sediadas naquela zona. 

O relatório preliminar – o definitivo deverá ficar concluído até ao final deste mês – revela o Bairro Novo em números e propostas. 
O estudo destina-se a aferir a dinâmica económica, turística, habitacional e social. “Este estudo é um raio X do Bairro Novo e servirá como linha orientadora para fazermos propostas sustentadas a quem de direito”, disse Álvaro Tomás, esperando que sirva, também, para captar fundos comunitários e da zona de jogo e novos investimentos.

O estudo para Álvaro Tomás, tem por finalidade “preparar o presente e projectar o futuro”, porque “o Bairro Novo foi, é e sempre será o coração da Figueira da Foz”. A “radiografia”, “com propostas concretas e devidamente debatidas com a população”, será apresentada a parceiros institucionais. O estudo da associação inclui, também, um logotipo para a “marca” Bairro Novo, uma sede e um cartão de sócios com descontos nos estabelecimentos aderentes. A cereja no topo do bolo é a proposta que defende que algumas das ruas comerciais devem ser cobertas, para transformar o Bairro Novo num centro comercial de rua onde os lojistas serão os que lá estão e os que poderão vir ali instalar-se. Isto, claro, se aquele e argumento da associação tiver cobertura dos comerciantes e das instâncias de decisão.
Para Álvaro Tomás  “há muito para fazer” naquela zona da cidade: desde o reordenamento do trânsito até à substituição do “obsoleto” mobiliário urbano. Na entrevista dada ao jornalista Jot’Alves do Diário as Beiras, o entrevistado aponta ainda  a necessidade de serem revistas as regras das esplanadas e acabar com os balcões exteriores dos bares. Antes de terminar a conversa, revelou que a associação pretende realizar “quatro ou cinco eventos marcantes por ano”

Imagens via Diário as Beiras

1 comentário:

Teresa Tomás Miranda disse...

O nosso Bairro Novo precisa de gente com vontade e iniciativa.Ainda bem que existem pessoas com garra para pôr mão à obra.Há muito que fazer.
Espero e desejo que todos se dinamizem e consigam dar ao Bairro Novo novamente a vida e a beleza que ele aos poucos foi perdendo.
Espero também que as entidades competentes colaborem e apoiem.
O Bairro Novo merece