.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Conferência de imprensa marcada para hoje por Carlos Tenreiro, traz para a praça pública a descoordenação existente no PSD/Figueira

Imagem SOS Cabedelo
Os vereadores do PSD insistem na necessidade de se realizar um estudo sobre o bypass de areias para a zona do molhe norte, proposta do movimento SOS Cabedelo. 
Carlos Tenreiro, candidato derrotado nas eleições autárquicas do passado dia 1 de Outubro, que lidera a bancada da oposição,  agendou para hoje uma conferência de imprensa sobre o tema, "a erosão costeira e a segurança na barra"
O estudo sobre aquele sistema mecânico de transferência de areia da Praia do Relógio para as praias do sul, recorde-se, foi aprovado pela Assembleia da República, mas o Governo ainda não o mandou fazer. Na semana passada, os deputados do PSD eleitos por Coimbra, questionaram o Executivo de António Costa sobre o assunto
Todavia, segundo o jornal AS BEIRAS, apesar da frente “comum” dos eleitos social democratas em torno da mesma causa, a realização da conferência de imprensa meteu areia na engrenagem da máquina laranja. 
Manuel Domingues, presidente da Concelhia do PSD, disse ao jornal que Carlos Tenreiro não debateu o assunto com aquela estrutura. E acrescentou que o convocou para estar presente na reunião que tinha entre os pontos da agenda a actualidade política local, mas o vereador não pôde comparecer. Não esteve Carlos Tenreiro mas esteve Ricardo Silva, que deverá estar ausente na conferência de imprensa, segundo fonte do partido informou ao DIÁRIO AS BEIRAS
O vereador não quis prestar declarações sobre a sua possível e deliberada ausência naquela iniciativa da vereação a que pertence, prometendo prestar esclarecimentos nos próximos dias. 
A confirmar-se, Carlos Tenreiro terá apenas a seu lado o vereador independente Miguel Babo.
Carlos Tenreiro, por seu lado, afiançou que informou Manuel Domingues, via e-mail, o mesmo que enviara às redacções, dando conta da conferência de imprensa e os respetivos tópicos, considerando que valia o mesmo do que se o tivesse endereçado à estrutura. 
Porém, o líder concelhio do PSD entende que o assunto deveria ter sido previamente debatido com a direcção local do partido, reconhecendo existir falta de articulação política entre a equipa que dirige e a liderança da vereação. Manuel Domingues não respondeu à missiva eletrónica nem indagou Carlos Tenreiro sobre o seu conteúdo. 
O dirigente, porém, justificou que não respondeu porque considerou-se informado sobre a realização da conferência de imprensa, apesar de manter a posição de que o envio do e-mail não substituía o debate prévio e interno, em sede de concelhia.
Para já, no PSD/Figueira, ficou patente a ineixistência de uma coisa essencial na vida política: o exercício de cargos públicos exige uma relação de lealdade entre as pessoas e um mínimo de estabilidade e coordenação.

Sem comentários: