.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Estação de socorros a náufragos da nossa cidade vai ter mais pessoal

Em declarações prestadas ontem na Figueira da Foz, no decorrer da sessão de apresentação do sistema "Costa Segura", o vice-almirante Silva Ribeiro admitiu que a lotação das estações do ISN apresentava "profundas deficiências" e que a AMN tem autorização para o reforço de pessoal com 26 tripulantes este ano, 22 em 2017 e 20 em 2018.
"O concurso está aberto e vamos seleccionar o pessoal para que início do próximo ano existe a possibilidade de reforçar as estações. E a Figueira é uma delas", disse Silva Ribeiro.
Por outro lado, o director-geral da Autoridade Marítima disse que o novo estatuto do pessoal das estações salva-vidas vai ser publicado "muito em breve" em Diário da República e "vem dar outras condições", que não especificou, aos tripulantes.
Questionado pela agência Lusa sobre se o novo estatuto incide sobre os horários de serviço dos tripulantes - já que as estações salva-vidas possuem horário de funcionamento e tem existido alguma polémica sobre a alegada falta de disponibilidade fora do horário normal de serviço - Silva Ribeiro considerou essa questão "uma falácia", alegando que os funcionários possuem efectivamente um horário, "mas depois têm disponibilidade permanente, o que se mantém".
"Têm normalmente (disponibilidade) inferior a meia hora, isso já estava, mas está claro, no estatuto que vai ser publicado, que rapidamente comparecem. Não vai existir pessoal 24 horas por dia à espera de uma emergência, vai existir um regime de prontidão de 20 minutos para saírem", explicou Silva Ribeiro.
De acordo com o mesmo responsável, todas as barras do país testaram, recentemente, planos de salvamento marítimo, tendo ficado definido pela AMN que, numa situação de barra condicionada, os meios da Autoridade Marítima "estejam à entrada" das infraestruturas portuárias e não ancoradas nos cais.

Sem comentários: