"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Na Figueira, há mais vida para além do carnaval...

"...existem na Figueira da Foz problemas estruturais de espaços mal concebidos. A escolha dos materiais (pedra das escadas escorregadia, madeira com limos), a configuração (arestas vivas, vãos largos sem corrimão) e o pensamento do projectista/dono da obra não estão alinhados com as necessidades da população. Quem anda a pé pela cidade facilmente se apercebe da ausência de políticas proativas de mobilidade. 
Apesar de alguns esforços - pintura da sinalização vertical; passadeiras elevadas (mas pouco) - está ainda quase tudo por fazer. O rol de inconformidades com o DL 163/2006 (acessibilidades) é muito extenso. Contudo, mesmo em obras recentes (margem do rio/Forte/ passeios) continua a CMFF a não obedecer às regras básicas da mobilidade."

Via O Ambiente na Figueira da Foz

1 comentário:

A Arte de Furtar disse...

Bem lembrado...
A imagem que ilustra o texto é talvez o local mais emblemático da falta de bom senso.

Um vão tão amplo de escadas que não recebe (de raíz) um apoio ao meio, deve ter sido concebido por um "excelente inginheiro".
Como já aqui escrevi, basta estar atento e constatar a dificuldade que pessoas de todas as idades têm na transposição deste obstáculo.
Famílias com crianças e com material para a praia ou carrinho de bebé, têm muita dificuldade em descer/subir.
Adultos procuram o apoio lateral, mas não há...! Não acompanha todo o escadario.
Escadas com piso escorregadio (chuva e humidade) e degraus curtos.
E outras características que pessoas entendidas certamente devem encontrar. Limito-me a descrever o que, na qualidade de utente, sempre considerei uma "não ajuda".
Mas estes reparos também servem para a escada que serve a Esplanada à zona dos cafés (em frente ao antigo turismo).

E não ficaríamos por aqui: piso irregular e com buracos na zona do Picadeiro; passeio irregular na marginal (que faz verdadeiras lagoas); raízes de árvores que levantam o passeio; passadeiras sem tinta (ou pintadas a 12 de Agosto,um espectáculo);.....

E a cereja no bolo é: a falta de limpeza da cidade!

Que a voz não vos fique roca Eng Vaz e Sr Agostinho!