.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Marcelo

"A ideia de volubilidade opinativa anda associada à actividade de comentário político exercitada, em diferentes plataformas e quase ininterruptamente, há várias décadas. Trata-se de uma crítica que padece, ela sim, de superficialidade e infantilidade. É por demais evidente que quem faz comentário semanal não pode deixar de ter uma leitura (também) conjuntural. E é até natural que, ao longo dos meses e dos anos, possa variar nos juízos que formulou, alterar perspectivas que adoptou, corrigir julgamentos que emitiu. Não será decerto difícil encontrar, entre os milhares de registos de opinião produzidos por Marcelo Rebelo de Sousa, algumas mudanças de posição e até contradições. Como seria possível outra coisa em alguém que emite opinião semanalmente ao longo de décadas? Será expectável que alguém, culto e inteligente, tenha a mesma visão e uma opinião monolítica aos 30, aos 40, aos 50 ou aos 60 anos?" - Paulo Rangel, no jornal Público

Ok:«...só os burros não mudam de opinião».
Podemos fazer um esforço e esquecer todas as contradições e mudanças de opinião de Marcelo, como comentador, nos últimos 5, 10, 20, 30 ou quarenta e tal anos. 
Todavia, a meu ver, chega o cenário do vídeo abaixo, o que nele Marcelo diz e, sobretudo, o facto de ter a data de 10.9.2015, ou seja, ser de há apenas 4 meses e a 24 dias das legislativas de 4 outubro p.p.

 

Sem comentários: