.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

O aumento do nível do mar

Foto de António Agostinho
Praia da Cova, hoje cerca das 9 da manhã.
Foi recentemente publicado nos Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America um trabalho científico de grande relevância sobre o aumento do nível do mar, dirigido por Kurt Lambeck. A equipa de Lambeck estudou um período de tempo relativamente longo, desde o presente até há 35 mil anos, registando as variações do nível do mar e do volume de gelo nas calotes polares. Foram estudados em mais detalhe os últimos seis mil anos. Durante este período, não foi registada nenhuma oscilação do nível do mar da ordem dos 20 centímetros num período de tempo da ordem dos 200 anos, exceptuando nos últimos 150 anos, desde que se iniciou a industrialização. Nos últimos 100 anos, o nível do mar subiu muito mais rapidamente que nos anteriores seis mil anos, tendo subido cerca de 20 centímetros. Este aumento mais acentuado do nível do mar é consistente com o aumento da concentração de gases de efeito de estufa que passaram a ser emitidos em larga escala desde o início da era industrial. Este trabalho vem reforçar a urgência de adoptar medidas de combate às alterações climáticas, que irão ameaçar em particular as zonas costeiras onde a subida do nível do mar é especialmente sentida em épocas de tempestade, quando o mar engole a terra e a erosão costeira se torna um problema permanente. Um problema que nos é bem familiar.

Crónica do investigador Rui Curado da Silva, publicada no jornal AS BEIRAS.

Sem comentários: