.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 20 de maio de 2014

Uma ficção distópica: a trapalhada do estacionamento pago no HDFF ...

Ontem, na reunião do executivo figueirense João Ataíde, que preside ao conselho de administração da empresa municipal Figueira Parques, concessionária do parque de estacionamento, anunciou que o novo tarifário mantém a primeira hora gratuita, e que daí em diante, em vez dos 60 cêntimos actualmente praticados por períodos de 60 minutos, a segunda hora baixa para 20 cêntimos e a partir da terceira hora o preço é de 40 cêntimos, mantendo-se gratuito no período nocturno, a partir das 22:00.
O autarca disse ainda que foi proposto à administração hospitalar o aumento do prazo de concessão de cinco para dez anos, mas que esta recusou a proposta.
Segundo o autarca, caso o hospital pretenda revogar o acordo, a empresa municipal “está disponível para sair da parceria”.
Se a administração do hospital quiser, saímos já amanhã. Retiramos as máquinas e vamos embora”, alegou João Ataíde, frisando que a Figueira Parques “tem a venda do equipamento garantida”, recebendo, desse modo, os 80 mil euros investidos.
Na resposta, Miguel Almeida, da coligação Somos Figueira (PSD/CDS-PP/MPT-PPM), desafiou João Ataíde a “sair já” da parceria, argumentando que as declarações do presidente da câmara denotam que a questão “não é financeira” e que “não faz sentido” a autarquia estar envolvida.
Não tenho dúvida nenhuma de que já se arrependeu mil vezes de ter entrado naquele negócio”, afirmou Miguel Almeida.
Recorde-se: a polémica em redor do estacionamento no Hospital Distrital da Figueira da Foz subsiste há mais de seis meses, após a Figueira Parques ter assumido as obras de requalificação do espaço, com colocação de um sistema de cancelas à entrada e saída que, na prática, coloca a unidade de saúde dentro do parque de viaturas.
O tarifário, agora novamente alterado, começou por ser gratuito nos primeiros 15 minutos e de 60 cêntimos nas horas seguintes – mais caro que o praticado em todos os parques públicos da cidade.
Foi depois alterado, em janeiro, mantendo os 60 cêntimos por hora mas passando os primeiros 60 minutos a serem gratuitos, assim como a maioria do período nocturno.
P.S. -
As informações sobre a reunião camarária de ontem foram obtidas aqui.

3 comentários:

Anónimo disse...

Também acredito que o presidente já esteja arrependido de se meter nesta embrulhada mas é um ser humano por isso erra como todos está então na hora de reconhecer o seu erro e sair já da parceria.
Abraço camarada

Anónimo disse...

A questão do estacionamento do hospital resolvia-se muito simplesmente adoptando o método que o LIDL de Buarcos aplicou nos meses de Julho e Agosto: 2 horas gratuitas e a partir da 3ª HORA cobra o estacionamento, evitando os eventuais abusos dos veraneantes.
Para adoptar esta solução não é preciso ser-se Juiz nem tão pouco ir à Universidade. Basta apelar ao bom senso...

Anónimo disse...

Caro anónimo das 15.04 o problema é que o que está em causa não são os veraneantes eles querem é faturar e veem aqui uma grande fonte de receita.
Estou completamente de acordo cnsigo.