.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

O litoral e os conflitos de interesses

Fotos de Pedro Cruz

A faixa litoral constitui uma peculiaridade no território, quer na perspectiva da sua ocupação antrópica, quer pela sua dinâmica natural.
Na realidade, é fácil constatar que à escala global o crescimento demográfico é assimétrico, com variantes sociológicas bem marcadas, mas com uma componente geográfica em que as regiões costeiras registam sistematicamente valores elevados.
O litoral constitui, assim, um espaço de interface onde se travam os maiores conflitos, entre modelos de ocupação, entre as várias actividades em desenvolvimento, e entre estes e os valores de conservação ambiental.
È neste território, escasso, que têm de coexistir interesses vários: urbanos, industriais, comerciais e turísticos.
È precisamente o que se está a passar no litoral do nosso concelho. O prolongamento do molhe norte em mais 400 metros é disso exemplo.
E o grave da situação, para nós, habitantes do sul do concelho, é que as “obras no Molhe Norte, têm precisamente impacte maior nas praias a sul”.

E estudos aprofundados sobre tão sensível matéria não existem. Conhecemos este Estudo de Impacte Ambiental relativo às Obras destinadas à melhoria das condições de acesso ao Cais Comercial e Porto de Abrigo (consultar clicando aqui).
Sobre, o sector sul dos molhes é muito pragmático.

Contudo, ainda assim, considera que “a instabilidade da faixa costeira é mais grave, porque com a drástica redução do caudal sólido a agressiva dinâmica marítima provocou uma intensa erosão na linha de costa”.
Que, aliás, nos últimos dias se agravou substâncialmente, conforme este blogue tem vindo a alertar.
Felizmente, os nossos continuados alertas vão encontrando eco noutros meios. Ontem, o cova d´oiro deu conta das nossas preocupações. Hoje, outros espaços acompanham o tema da erosão da nossa orla costeira, como podem ver a seguir.

Cova Gala ... entre o rio e o mar...
Exigem-se Medidas Urgentes,Concretas,Responsáveis...

“Não poderia deixar de publicar esta imagem,tirada da"OUTRA MARGEM" ,que ilustra bem o que está acontecer nas praias da Cova Gala,ali mesmo junto ao café "Pôr do Sol" e Hospital, o que considero de muito grave.”

Diário de Coimbra
Mar continua a destruir zona sul e ameaça habitações

“O mau tempo que se tem feito sentir por todo o país tem tido também reflexos no mar. Tal como o nosso Jornal divulgou no início da passada semana, a forte ondulação e os ventos têm contribuído para que toda a zona da costa a sul da Figueira (em S. Pedro, Lavos e Leirosa) esteja a ser fustigada por ondas fortíssimas que têm “engolido” toneladas de pedra, protecções, passadiços e tudo o que lhe surge pela frente. No entanto, dizem os pescadores, a «coisa está feia e ainda vai ficar pior», porque «até quinta-feira as águas vão continuar a crescer», dizem, salientando que este ano «está 200 ou 300% pior que nos anos anteriores».”

5 comentários:

Anónimo disse...

é uma vergonha o passivíssimo do poder político,dos nossos governantes.

Anónimo disse...

O problema é a falta de guito e algumas incompetencias desses anormais que nos governam

Anónimo disse...

A população da cova gala havia de se levantar em peso,e organizar uma manifestação em frente à camara da figueira,para ver se alguém se mexe.

Anónimo disse...

BOA JOÃO LUIS.
E PORQUE NÃO CORTAR A ESTRADA POR ONDE PASSAM OS CAMIÕES QUE ESTÃO A TRANSPORTAR A PEDRA PARA O MOLHO NORTE?
VAMOS A ISSO.

Anónimo disse...

VAMOS A ISSO SENÃO QUALQUER DIA CHORAM DE DESGRAÇA . VAMOS JUNTAR NOS!!! A UNIÃO FAZ A FORÇA... ARRAMJEM QUALQUER MANEIRA DE EVITAR QUE AQUELE MOLHE NÃO SEJA EXAPANDIDOINDA MAIS DO QUE ESTÁ.SENAO CONSEGUIRMOS EVITAR VAI SER O NOSSO FIM MAIS CEDO OU MAIS TARDE.JUNTEMO NOS AOS DA LEIROSA ETC. DEPOIS QD AS COISAS ACONTECEM JÁ É TARDE DE MAIS.GANDA JOÃO