terça-feira, 23 de maio de 2006

Fiquei inquieto


Ouvi na rádio, com a atenção possível, o debate realizado sobre o encerramento da Maternidade da Figueira da Foz.
Penso que o debate não alterou a posição de ninguém: quem estava contra o encerramento manteve a posição. E o contrário também é verdade.
Não conheço João Portugal, figueirense e deputado do PS pelo distrito de Coimbra, a única voz que no debate assumiu ser a favor do encerramento do bloco de partos da nossa maternidade.
Para que não restem dúvidas, declaro desde já: sou contra o encerramento.
Pelo menos na matéria em questão, penso diferente de João Portugal.
No entanto, apesar de discordar, passei a respeitar mais este deputado da Nação.
A partir de ontem, fiquei a saber que a Figueira tem uma figura pública frontal.
Assumiu, numa causa importante para os figueirenses, uma posição política clara e transparente. E, o que não é coisa pouca, num debate escutado certamente por milhares de possíveis futuros eleitores
Claro que não deixo de admitir que, eventualmente, neste momento, esta também pode ser uma posição particularmente correcta ...
Mas, não é que ao ouvir o outro lado da barricada - e a panóplia de opiniões da maioria pontual contra o encerramento da maternidade - senti alguns arrepios.
Não sei exactamente porquê, lembrei-me de Miguel Torga.
“É uma tristeza verificar que a política se faz na praça pública com demagogia e nos bastidores com maquinações. E mais triste ainda concluir que não pode ser doutra maneira, dada a natureza da condição humana, que nunca soube distinguir o seu egoísmo do bem comum e vende a alma ao diabo pela vara do mando. A ambição do poder não olha a meios, pois todos lhe parecem legítimos, se eficazes.”
E fiquei inquieto.

2 comentários:

jorge w disse...

Um dos argumentos para o encerramento das maternidades é a falta de condições.Ora, no caso da Figueira da Foz, cujo hospital abrange uma população na ordem das 250 mil pessoas (desminta-me quem puder), tem maternidade há mais de 50 anos, sem nunca ter tido graves problemas, aqui nasceu muita, muita e boa gente, ainda há muito pouco tempo recebeu um prémio anível nacional das mão do ministro Correia de Campos, no caso da maternidade da figueira, dizia, só posso pensar que a tentativa de encerramento tem outros interesses encobertos, não serão técnicos com certeza.

Anónimo disse...

Boa-tarde!
É assim que este pais anda,Sabendo eu que este deputado tem a sua mãe a fazer partos na maternidade da Figueira á mais de trinta anos, o que pensará a sua mãe?Onde nasceu este cromo?na freguesia de São Pedro, ou não? uma pergunta que deixo aqui:O Sr. deputado pode dizer aqui, alto e em bom som que não assinou o ultimo abaixo assinado á cerca de quatro anos e meio? o que é que houve de tão grave nos ultimos anos, para o fazer mudar de opinião?
Será por o Dr. Rui Moura estar com barbas brancas e os pêlos cairem para cima dos bébés? ou será porque o dr. Rocha não trabalhar na POLIVALENTE? Porra, deixem nascer os nossos filhos na nossa terra, deixem-se de ipocrisias saloias.Roubem o que quiserem mas deixem-nos em paz por favor.Será que é desta que vamos reunir 250 mil pessoas e dizer a estes politicos que o povo tem que ter uma opinião?
CHISSA PENICO CHEGA DE MERDAS:
ZÉ TAMBORIL