terça-feira, 1 de maio de 2018

Vivamos o momento...

Para ver melhor, clicar na imagem
"Como o texto não era o teu forte, escolheste contar histórias com imagens. E ainda bem. Perdeu-me um escritor vulgar, mas ganhou-se um excelente fotógrafo."

- João Canavilhas, Professor do Pedro Cruz na UBI

Cova e Gala, uma Aldeia de grandes fotojornalistas...

No momento do enorme sucesso do Pedro Cruz (na opinião de um grande fotojornalista deste país, fez uma das fotos do século), recordo outro enorme grande fotojornalista natural da Cova e Gala: Peter Pereira.
"Foi um dos momentos mais bonitos da minha vida. Digo com paixão que adoro a Figueira e a minha terra. Não esqueçam os artistas que vivem cá, muitas vezes na sombra", disse Peter Pereira no decorrer da cerimónia realizada na passada segunda-feira, dia 1 de agosto de 2016.

"Singularidades de uma poetisa", um livro da figueirense Isabel Tavares


Vídeo Figueira tv
 
O LANÇAMENTO ocoreu no CAE- Centro de Artes e Espectáculos.
Foi um dia maravilhoso, cheio de LUZ e de AMOR!
Esteve presente o Senhor Presidente da Câmara Dr. João Ataíde,  o  vereador Dr. Carlos Ângelo Ferreira Monteiro, o ex-vereador e grande escritor prémio Leya Dr. António Tavares.
Para ver uma SINOPSE do livro e o perfil da autora, clicar aqui.

Bom Dia do Trabalhador

A importância dos espaços livres e abertos...

Pedro:
Permite-me uma certa liberdade de escrita para te dizer que, a Figueira, é uma cidade ao ar livre, do turismo, do surf, da onda mais comprida do mundo! 
É uma cidade em que dá gosto viver e respirar, pois há uma sensação de liberdade pelo ar. 
E há contentamento. 
E há movimento. 
E há vida... 
Não há poeiras, em suspensão, no ar. 
Quem estiver atento chega a sentir isso ao respirar. 

Olha Pedro:
Ainda bem que a "cidade e os fotógrafos do burgo te deixam respirar"
Aproveita: é tempo de respirar este ar bom, tocado a vento e agradável! 
Sei que gostas  da calma que se sente nestas manhãs frescas, como está esta hoje, 1º. de Maio de 2018, Dia do Trabalhador.
Houve tempo, quando tinhas tempo, que as apreciávamos os dois, no decorrer daquelas caminhadas matinais, que aproveitávamos para conversar e respirar bem essa calma. 

Lembras-te Pedro?
E a luminosidade matinal!
Fantástica! 
Não havia, então, poeiras no ar. 
Tudo era absolutamente límpido.

Olha Pedro:
A Figueira é onde tens uma casa simples e acolhedora...
Não tem nada de especial, mas aqui, na Aldeia vive-se com agrado: tem ar puro, luminosidade e espaço livre, o que é importante. 
Dá para respirar...
E respirar é preciso... 
Como diria o Solnado: eles que "façam o favor de serem felizes!"

Em tempo.
Simplesmente fantástico: o Diário de Coimbra, pelo menos na versão que vi na internet, dá a notícia do recorde mundial na Nazaré, publica a foto do Pedro Cruz e nem sequer refere que houve um fotógrafo, jornalista profissional, premiado na cena!..
No mínimo, há imprecisão e falta de rigor jornalístico...
C'est la vie.

Basta?...

... 
"No documento apresentado na passada 6.ª feira à Assembleia Municipal da Figueira da Foz, o Município demonstrou ter seguido, em 2017, a linha traçada há oito anos: cumprimento do Plano de Saneamento Financeiro e elevada execução orçamental, defendendo os “ideólogos do Regime” que a bondade desta opção é a única e verdadeira forma de conduzir os destinos do Concelho porque 1) nada mais pode ser feito nem de maneira diferente porque herdaram dívida; 2) o eleitorado valida o talento político do atual Presidente da Câmara e da(s) sua(s) equipa(s) através de sucessivas maiorias absolutas.

Estamos, assim, pelos vistos, perante uma dupla fatalidade: o Concelho da Figueira está hipotecado de ousar apreciar uma proposta alternativa que ofereça um desígnio sustentado e sustentável e que esta surja fora do espaço político socialista.

Estou convencido que a lógica fundamentadora deste ciclo político se esgotou na Figueira sem garantir o dinamismo necessário para a afirmação deste território num horizonte temporal de médio/longo prazo, pelo que voltarei ao tema na próxima semana."
 Fim de ciclo?, uma crónica de Teotónio Cavaco, via AS BEIRAS.