domingo, 23 de novembro de 2014

Uma frase para a história...

Esta pergunta foi feita por Paulo Portas:
"Quem é que cria mais postos de trabalho? O Bloco de Esquerda ou a Remax?"
Esta frase merece ficar na memória destes anos de lixo, juntamente com o “irrevogável” do mesmo autor, e de algumas outras de Passos Coelho sobre os “piegas” versus os empreendedores, ou o “ir para além da troika”, ou a “austeridade criadora”, ou o fabuloso conceito de “justiça geracional”, ou os saltos no palco do “jovem” comissário do Impulso Jovem que nunca deve ter percebido como é que acabou a sua nobre missão de explicar a inutilidade de saber história ou sequer de estudar...

João Soares, um verdadeiro filho do pai...

Este blogue está quase com 9 anos de vida. 
Quem, ao longo dos anos, tem passado por aqui, tem conhecimento de que o meu apreço pela figura de José Sócrates é nulo.
Todavia, até o julgamento ter terminado, presumidamente, é inocente.
Ponto final. 
Nunca estudei direito, mas sei que toda a gente é inocente até se provar cabalmente no tribunal competente a sua culpabilidade.
Por isso, considero uma parvoíce as afirmações do senhor João Soares sobre o assunto.
Afirmar que a prisão preventiva - uma detenção para interrogatório, que pode ser levantada a qualquer momento- só se justifica em crimes de sangue e que, além disso, tudo isto é apenas uma tentativa de humilhação de Sócrates, a meu ver, foi a mais falhada tentativa de defesa de Sócrates.
Mais: esta tentativa de transformar em perseguição política este processo, torna mais frágil e dramática a situação, desde logo nada invejável, do ex-primeiro ministro.
O dr. João Soares, ao que presumo, terá cursado Direito. Terá lido e estudado, portanto, o Código do Processo Penal.
Não sei se chegou a exercer advocacia, mas duma coisa tenho a certeza: não seria eu que lhe confiaria a minha defesa em qualquer caso em estivesse eventualmente envolvido...

Justiça - e chegámos ao estado do directo...

São oito e picos da manhã, e a  RTP Informação já está no terreno - nas instalações do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, em Moscavide, onde José Sócrates passou a noite -, para uma jovem repórter dizer que estão polícias à porta da garagem do edifício... 

Um pouco mais tarde, nova ligação para dizer que pelas 8 e 33  um pólo cinzento que tinha passado transportou Sócrates ao Campus da Justiça...

Confesso que estou cada vez mais preocupado.
Das duas uma - e já não há hipótese de retorno: ou Portugal tem um ex-Primeiro Ministro criminoso,  ou Portugal tem uma Justiça muito perigosa. 
Num caso ou noutro, somos nós que continuamos a perder...

X&Q1228