domingo, 7 de abril de 2013

Naval reage bem às adversidades dos últimos dias...


 ... e justificou vitória sobre Sporting B por 1-0.

Pedro para a outra vez respeita o urinol

foto sacada daqui

É certo que o urinol,  esse confidente dos momentos mortos e pensamentos dispersos da humanidade masculina, reluzente na sua celestial brancura de porcelana, nota-se bem na foto,   preso aos  azulejos húmidos.
Mas,  era o urinol – e não tu Pedro -  que merecia estar em primeiro plano na foto.  
O urinol é o expoente máximo do design.
O urinol é um grito de libertação masculina - nem o cinto de castidade, nem a burqa, nem qualquer outro objecto alguma vez concebido pelo génio humano algum dia causou nas mulheres tamanho pavor e choque como o vulgar urinol.
Tudo isto,  porque elas sabem que o urinol é o nosso sagrado altar do ethos masculino e da nossa virilidade.
Numa época em que as mulheres nos roubaram as faculdades, os carros, o futebol, as calças, a cerveja, os palavrões, o urinol mantém-se como bastião inacessível de tudo aquilo que faz de nós o sexo forte.
O urinol é nosso, nunca será delas, pois  é impossível domesticá-lo, civilizá-lo, feminizá-lo.
O urinol é o nosso amigo franco e transparente.
O urinol é, enfim, um direito fundamental do homem, desde o dia em que a sua estatura lhe permite alcançá-lo até à algália.
Pedro, para a outra vez tem mais respeito - não tomes o lugar do urinol.
Essa maravilha da civilização tem de ser defendida e valorizada por nós,  os homens - é nosso  amigo e estandarte de masculinidade!

Pornográfico

“EDP pagou 3,1 milhões de euros em remunerações e prémios a António Mexia”. 


Em tempo.
“Durante esta semana foram divulgados dados oficiais referindo a existência de cerca de 500 000 desempregados sem subsídio de desemprego, vou repetir, existem cerca de 500 000 portugueses desempregados sem subsídio de desemprego. 
Eu sei que algumas pessoas têm, como disse Eduardo Catroga, um valor de mercado de tal maneira elevado que a sua remuneração é um assombro e, entendem, merecida e justificada. 
O problema é que existem muitos milhões sem qualquer valor de mercado, são justamente as peças descartáveis de máquinas que produzem, enquanto são precisos, a substância de que se alimentam as remunerações obscenas e insultuosas dos donos dos mercados e das pessoas. O mundo é um lugar estranho onde tudo falta e tudo sobra.” 

  Daqui

Preparem-se para o castigo...

Uma  maioria parlamentar…
O  apoio sólido do Presidente da República…
Esperavam o quê?..
O ministro das Finanças foi com o primeiro-ministro a Belém. Meia hora chegou. À saída, tal como à entrada, pelas traseiras do Palácio, não falaram.
Pouco tempo depois, a Presidência da República emitiu um comunicado dizendo que Cavaco Silva "reitera o entendimento de que o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido".
O Presidente afirma ter manifestado "o seu empenho em que sejam honrados os compromissos internacionais assumidos e em que sejam alcançados e preservados os consensos necessários à salvaguarda do superior interesse nacional".
Mas...
"Um governo que pretendia governar com outra constituição será constitucional, ou foi sempre um governo provisório?"
Pedro Passos Coelho, amanhã, pelas 18h30m vai falar...
É aguardar!

Bom domingo