Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Ainda bem que na Figueira não é assim...

Há cidades em que não pode haver crítica pública à autarquia.
Ainda bem que na Figueira não é assim.
Nesssas cidades, quem teve o desplante de a fazer nas redes sociais recebeu piedosos  avisos - e calou-se.
Ainda bem que na Figueira não é assim.

Bastava um like num comentário crítico para desencadear a pressão. 
Ainda bem que na Figueira não é assim.

Ainda nessas cidades, que não na Figueira, pois na Figueira não é assim, era frequente serem apagados posts nas redes sociais. 
Nessas cidades, que não na Figueira, pois na Figueira não é assim, existia  gente a  passar a pente fino as redes sociais, ao ponto de até se "alertar" quem colocava likes. 
Nessas ciadades, que não na Figueira, pois na Figueira não é assim, parecia estar a viver-se 50 anos antes, quando havia agentes da PIDE a vasculhar a vida das pessoas. 

Nessas cidades, a estratégia resultava e tem-se mostrado eficaz. 
Esperemos que os querem tomar conta da  “manjedoura” autárquica, não sigam essas práticas e esses métodos: uns telefonemas, umas "facilidades", umas conversas - tudo para controlar (o ideal é mesmo silenciar...) as críticas. 
Ainda bem que na Figueira não é asssim.

O desejo de ter  acesso ao "pote" autárquico, isto é, à  gestão dos dinheiros camarários, leva muita gente, por esse Portugal fora, a cometer disparates.
Ainda bem que na Figueira não é assim. 

Ainda bem que, na Figueira, existe a garantia que quem ganhar em 26 de Setembro de 2021, vai continuar assim e não como tem sido em muitas cidades de Portugal continental e ilhas adjacentes.
Nessas cidades, que não na Figueira, pois na Figueira não é assim, aquilo que tem acontecidos, além de triste, tem sido uma vergonha.

Sem comentários: