.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Muitos políticos já explicaram porque é necessária uma maioria absoluta. Para Ataíde, houve uma consequência simples, que, porventura, no actual contexto figueirense, se sobrepõe a todas as outras: ter imposto reuniões privadas de câmara.

Lembram-se?..
Até já nevou na Praia da Calamidade!
Se o PS figueirense teve maioria absoluta nas últimas autárquicas, com um cabeça de lista de seu nome João Ataíde, porque é que não haveria de ter nevado na Praia da Figueira?

Nota de rodapé.
De harmonia com o jornal AS BEIRAS, "a oposição camarária na Figueira da Foz responsabilizou o presidente da Câmara por eventuais acidentes que aconteçam nas obras inacabadas do areal da praia e criticou o que considerou falta de segurança e desleixo na intervenção.
No local, na noite de segunda-feira, Miguel Almeida, vereador da coligação Somos Figueira (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), constatou que a iluminação da nova ciclovia e percurso pedonal, que atravessa o areal, estava ligada e que os cabos eléctricos – visíveis à superfície e sem qualquer resguardo – estavam em carga, horas depois de o presidente da Câmara, João Ataíde (PS), na reunião da autarquia, lhe ter garantido que estavam desligados da corrente.
Qualquer coisa que aconteça aqui, o senhor presidente da Câmara é responsável. E vai ter de dar uma explicação porque é que hoje mentiu na reunião [privada] de Câmara. Porque, ou mentiu, ou desconhecia [que a corrente elétrica estaria ligada], e qualquer das duas situações é grave”, afirmou Miguel Almeida."
Segundo o mesmo jornal, "a agência Lusa tentou ouvir João Ataíde, mas os contactos revelaram-se infrutíferos. 
Já o chefe de gabinete do presidente da Câmara, Tiago Castelo Branco, explicou que os cabos estão desligados de dia e foram ligados à noite “para testes” ao sistema de iluminação e que serão enterrados após os testes estarem concluídos, para ser possível detectar eventuais anomalias.
A mesma fonte, que não explicou porque é que os testes não foram referidos na reunião da autarquia, afastou eventuais problemas de segurança por causa dos cabos estarem à vista, alegando que uma garantia nesse sentido foi dada à Câmara Municipal pelo empreiteiro e empresa responsável pelas montagens eléctricas."

1 comentário:

A Arte de Furtar disse...

Limpeza de imagem (de ambos, diga-se).
Querem convencer-nos que não foi por incompetência mas por “falta de madeira”.
Mais lixo escondido debaixo do tapete. Havemos de estar a limpar durante muitos anos.
Uma regra especial para um único químico total eficaz: OMO! (OMO, lava mais branco…)
A infantilização em curso, tudo TOP, tudo superficial, tudo culpa dos outros.
Amanhã sai mais uma declaração de amor aos miúdos e paizinhos.
Verdadeiramente os miúdos vêm ao SUNSET pelo IVA da restauração, na F Foz!!!!