.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Lembram-se do tempo da censura que cortava entrevistas, reportagens, notícias e encerrava jornais?..

Completam-se hoje 70 anos que o Diário de Coimbra retomou a sua publicação depois de ter sido suspenso por mais de um ano pela ditadura do Estado Novo. 
A censura do Estado Novo viu afrontas a Salazar num artigo do jornal Diário de Coimbra, mantendo-o encerrado por mais de um ano.
Tal aconteceu por causa de um artigo - “Max, artista de circo”
O jornal foi impedido de sair entre 7 de Julho de 1945 a 11 de Julho de 1946. 
A intenção era fazer desaparecer o jornal, que vinha publicando na coluna “A Cidade”, artigos sobre escassez de água, pão, batata ou peixe, assuntos que não interessavam ao regime salazarista. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Mesmo assim aprendeu pouco pois continua a ser um pasquim pró-fascizante tal como recentemente o seu Director escreveu em editorial. E um dos jornais que se desaparecer não faz falta nenhuma

A Arte de Furtar disse...

Lição:
Há 70 anos havia "tomates" no Diário de Coimbra.
Hoje, é um pasquim!