Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Pensem. Mas, pensem bem...

No encerramento da Universidade de Verão, o líder social-democrata dirigiu-se aos "que não são do PSD e do CDS" e colocou desigualdades sociais no topo das prioridades.
A pouco mais de um mês das eleições legislativas, Passos Coelho fez um apelo aos eleitores do centro-esquerda – que não são do “PSD e do CDS” – para pensarem mais no futuro dos próximos quatro anos do que nas dificuldades por que passaram nos últimos anos. 
O líder do PSD empenhou-se em tentar retirar a carga ideológica e partidária das legislativas, ao dizer que o que está em causa no futuro “não são convicções ideológicas, nem dogmatismos partidários”, mas sim “coisas muito concretas”
Passos Coelho optou por não fazer um balanço dos quatro anos de governo – dizendo apenas que “não fez tudo bem” – mas no final deixou um desabafo: “Foi difícil, mas valeu a pena.”
A visita do líder do PSD a Castelo de Vide foi curta. À chegada ao cine-teatro, ao final da manhã, eram muito poucos os populares que o esperavam. Só à saída Passos Coelho cumprimentou algumas pessoas que se aproximaram antes de entrar no carro e seguir viagem para as festas de Campo Maior.

Em tempo.
Coligação a combater desigualdades "é como pôr Salgado no Banco de Portugal", diz BE...

Sem comentários: