"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

domingo, 23 de agosto de 2015

A Arte Xávega no Concelho da Figueira da Foz ficou mais pobre...

"Zé do Olho, 
Não tinha medo do mar! 
Era amigo e um amigo! 
Adorava ser fotografado! 
Era a pessoa que me movia para ir fotografar a Arte Xávega naquela localidade, Costa de Lavos. 
Carismático, trabalhador e divertido é assim que me vou recordar do Zé do Olho." 
Pedro Agostinho Cruz

Em tempo.
Zé do Olho é um Homem, como tantos outros, que vem dos tempos de nada. Nas aldeias, vivia-se do nada. Nem o mais essencial estava acessível à generalidade do povo... 
Uma vida certamente recheada de estórias empolgantes, vividas na solidão branca das ondas do mar.
Uma vida, como tantas outras, vivida em condições de extrema dificuldade, que passou pelos longos anos da guerra, anos de fomes, tempos de duros racionamentos.

Zé do Olho, um Homem do Povo e um Amigo do Pedro, que o Pedro não esqueceu.
Os meus pêsames à família enlutada.

Sem comentários: