segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Na Figueira, no fundo, vai haver vida para além da “lei inevitável” do Miguel… Assim, como há vida para além da INEVITABILIDADE da morte… E assim como há vida para além da INEVITABILIDADE do cagalhão…


Crónica de Miguel Almeida, hoje no Diário as Beiras:

"A assembleia municipal aprovou na passada sexta feira a proposta subscrita pelo PSD, Figueira 100% e presidentes das juntas de Lavos e São Pedro, que agrega 4 freguesias do nosso concelho. 
Importa explicar, que estas agregações NÃO ERAM UMA OPÇÃO ERAM UMA OBRIGAÇÃO. Resulta de uma lei, QUE APESAR DE DELA DISCORDARMOS, ESTAMOS CONDENADOS A CUMPRI-LA.
 
Havia dois caminhos possíveis. Um defendido pela câmara e pelo PS, que se traduz na ausência de qualquer proposta, ou seja, ignorar a lei e permitir que “Lisboa” decidisse por nós. Um outro, mais difícil é certo, que representa não alienar a responsabilidade que a todos os deputados municipais cabe, e serem os figueirenses a decidir o que fazer com o seu território.
O primeiro caminho, levaria á agregação de 6 freguesias, o segundo e usando as prorrogativas da lei, permite agregar 4.
 
Preferimos correr o risco da incompreensão de alguns, ainda que TODOS SOUBESSEM QUE ESTA MEDIDA ERA UMA INEVITABILIDADE."

Em tempo.
O Miguel, pensa que teve, na passada sexta-feira, o sentido de "inevitabilidade" a seu favor.
Desde que o conheço – e já lá vão uns anos – pressenti que o Miguel, ele sim,  seria uma inevitabilidade para a Figueira - a sua hora haveria de chegar.
Isto, porém, na Figueira, sempre causou  em alguns, que não em mim, inclusive, no próprio PP/PSD, mau humor, aborrecimento e tédio.
Mas, na passada sexta-feira, depois da votação, também pressenti na sala onde decorreu a sessão da Assembleia Municipal, que quem votou a INEVITABILIDADE, a seguir, quase, ou mesmo todos, sentiram aquele alívio próprio do destino cumprido.
Era uma medida inevitável!.. 
Inevitável como a morte, como diria o Miguel… Para mim, porém, inevitável, no fundo, mas sim como um cagalhão.
Parafraseando o próprio Miguel Almeida, como diria Sá Carneiro “a política sem alma é uma chatice, sem ética é uma vergonha”...

3 comentários:

Anónimo disse...

Sabe-me dizer onde posso encontrar os critérios que levaram à agregação destas freguesias e não de outras ? Ou não houve critérios ?

António Agostinho disse...

Isso, quem o pode informar com propriedade e rigor, são os proponentes da "lei inevitável": a saber - PPD/PSD, 100%, presidente da junta de Lavos e presidente da junta de S. Pedro.

Em tempo.
Eu já li e tenho fotocópia do documentado. É só dar-me nome e direcção que eu farei o envio de fotocópia com todo o prazer.
Sempre ao dispor...

Anónimo disse...

Obrigado pela disponibilidade, mas não é necessário esse trabalho.
Pelo que um membro da JSD me explicou o critério foi a Agregação das Freguesias mais pequenas pelas maiores. Critério esse que até era coerente, não fossem "estragar" tudo com a agregação de São Julião por Buarcos onde esse tal critério não se aplica.