FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA.

FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA. FIQUE EM CASA.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Oh, valha-me Deus, que tristeza…

É triste, mas triste mesmo, pois é gente que deveria ter responsabilidades acrescidas…
É triste, mas  triste mesmo,   porque  estes jovens, que não podiam  saber tão pouco, não deviam ter lata para apresentar tanta desculpa.
Não saber não é crime. Crime  mesmo, é gente que tem a pretensão de nos representar na Casa da Democracia cultivar a ignorância e continuar alheio à História da Democracia portuguesa.
Isto é arrepiante... A doença está lá... Isto, é apenas um sintoma...
Oh, valha-me Deus, ai estes jovens deputados…
A reportagem da TVI para ver aqui.


Outros jovens deputados de ontem, governantes de ontem,  de hoje e possivelmente amanhã... 
Em tempo. 
Citando António Jorge Pedrosaontem na sua crónica no jornal AS BEIRAS.
“Ao contrário do que muitos pensam, entre 1960 e 2000, apesar de ter atravessado grandes convulsões políticas e sociais, abril incluído, Portugal foi o 5º. País que mais cresceu a nível mundial – 352 por cento – o que correspondeu a uma média anual de 4,2 por cento.
Com a entrada no euro, seguiu-se uma década perdida. Investimento pouco reprodutivo, despesismo do Estado e baixa competitividade da economia.”

1 comentário:

o cu de judas disse...

pois já é costume, com os descobrimentos e os proventos que daí vieram aconteceu o mesmo: trabalhar que trabalhasse o preto, nada se produzia, exibia-se e esbanjava-se o que se tinha e não tinha, só aparências, e tudo se comprava ao estrangeiro, havia ouro, especiarias que tudo permitiam menos trabalhar, o que só demonstra que em termos de estruturas mentais continuamos 500 atrasados.