sábado, 15 de outubro de 2011

Entre Figueira da Foz e Caldas da Rainha governo vai acabar com o transporte de passageiros

Via jornal Público:


"O Governo vai desactivar, até ao final do ano, a linha ferroviária do Alentejo para transporte de passageiros entre Beja e a Funcheira, e o serviço, também de passageiros, da linha do Oeste, entre as Caldas da Rainha e a Figueira da Foz. A linha do Vouga fica totalmente desactivada.
O transporte de mercadorias vai, contudo, manter-se no Oeste e no Alentejo, prevê o Plano Estratégico de Transportes (PET), onde é também definida a desactivação do ramal de Cáceres e do troço Figueira da Foz – Pampilhosa e das linhas do Tua, Tâmega, Corgo e Figueira da Foz (as últimas quatro tinham sido “provisoriamente encerradas” pelo governo anterior com a promessa de reabertura após reabilitação).
O transporte de passageiros entre Beja e a Funcheira, entre Caldas da Rainha e a Figueira da Foz, e na linha do Vouga, passará a ser assegurado com concessões rodoviárias para os mesmos percursos até aqui realizados pelos serviços da CP.
O encerramento da linha do Vouga (que serve Oliveira de Azeméis, São João da Madeira e Águeda
nas suas ligações a Espinho e Aveiro) acontece depois de, nos últimos três anos, a Refer ter investido 3,7 milhões de euros para automatizar 50 passagens de nível.
Na linha do Oeste, é encerrado precisamente o troço onde a CP era mais competitiva em relação à Rede de Expressos. O comboio é mais rápido e mais barato do que o autocarro na ligação a Coimbra, mas a CP só tinha um comboio por dia para aquele destino."
Isto, é mais um balde de água fria para a Figueira. Ainda há pouco tempo, em 25 de Agosto  passado, se previa que a Linha do Oeste não deveria  fechar. Segundo AS BEIRAS o presidente da Câmara da Figueira, tinha obtido essa resposta da CP.
Recorde-se que, em finais de Junho, foi noticiado o encerramento do troço entre Louriçal e Torres Vedras, proposta que terá sido apresentada pelo Governo português à Troika, como proposta final, inserida num pacote que contemplava o encerramento de 800 quilómetros de ferrovia.

3 comentários:

nutrinow disse...

Como tudo o resto... Infelizmente é o resultado dos nossos Políticos,
todos eles... são iguais! O ordenado deles está seguro, os outros que se lixe

gina henrique disse...

Não concordo nada com a desactivação das ferrovias e penso que só a sua reabilitação aproximaria as nossas gentes e resolveria muito melhor o problema dos trasportes e já agora também não posso concordar com o desabafo de NUTRINOW quando refere que os políticos são todos iguais porque na verdade nã0 são todos iguais tal como as outras pessoas também não são todas iguais !

Guimaraes disse...

Cá está um exemplo de crime longamente premeditado. Começou, há uns anos, por desmembrar a Linha do Oeste em diversos troços de horários pouco compatíveis entre si, de modo a desincentivar a utilização por não servir os interesses dos possíveis clientes. Agora, fecha-se por não ter clientes. Mais tarde veremos a quem interessa o negócio...