sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

A fúria do mar e a protecção da orla costeira


A protecção da Orla Costeira Portuguesa é uma necessidade de primeira ordem.

Já levantámos o problema neste espaço, por diversas vezes, como por exemplo, aqui, aqui e aqui, pois esta questão é grave.

De ontem para hoje, as marés vivas e o mar alteroso, fizeram os estragos que pode ver com mais pormenor fotográfico aqui.

O mar chegou à estrada que dá acesso ao Cabedelo. O molhe sul está a ser reforçado... Mas, poucos metros para sul, a costa está vulnerável...

Mais uma vez, fica o alerta: em S. Pedro a erosão da orla marítima constitui um problema - e grave.

1 comentário:

João Miguel C. G. Vaz disse...

O problema é mais grave do parece e não se resolve com engenharia civil pesada. Enquanto persistir o molho norte, uma verdadeira aberração, as praias a sul não são carregadas com areia. Logo, ficam erodidas.
A solução que é normalmente apontada, e a o INAG se opõem, é simplesmente emparedar a costa. Ficaremos como a Holanda, mais dia, menos dia, com praias de betão.
Por mim, acabe-se com os molhos.

João Vaz