Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Alberto Souto: endividou Aveiro, vai emprestar dinheiro

Na recente remodelação, só uma saída pareceu promoção: a de Alberto Souto, dado como a caminho do Banco de Fomento. Mas como gestor autárquico saiu mal – com milhões a faltar 

«Desde 2012 que se fala de um Banco de Fomento. O Governo vai finalmente concretizá-lo – a lei está feita e deverá começar a funcionar em novembro. 
Pelo meio, houve uma remodelação e um nome, e apenas esse até agora, surgiu na corrida, sem cargo predefinido: Alberto Souto de Miranda, ex-secretário de Estado Adjunto e das Comunicações. 
"Não posso confirmar, também não vou desmentir", diz o próprio, que acrescenta ter sido surpreendido pela notícia e mais não adianta: "É só uma hipótese de trabalho." 
Nove de outubro de 2005: Alberto Souto perdia as eleições autárquicas em Aveiro, depois de dois mandatos à frente da autarquia, eleito pelo PS. 
O anuário financeiro dos municípios portugueses para esse ano indicava Aveiro como o quarto município do País com maior endividamento líquido, o quarto com maior saldo negativo entre as receitas e as despesas comprometidas, o sexto com maior passivo exigível em 2005."

Sem comentários: