.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Deambular pela beira mar...

foto C.S.
Gosto da beira mar, sobretudo fora da chamada “época alta”.
Para quem não “vive” o mar, as imagens parecem sempre iguais.
Mas, eu, garanto que não!
Para quem o conhece bem, o mar é sempre diferente...
E, também, sempre imprevisível!

Gosta-se dele... Pronto.
Esta é a explicação, e a razão, porque a gente do mar raramente consegue viver longe da sua vista!
Neste deambular, preguiçoso, podemos nem sempre encontrar coisas novas.
Contudo, mesmo que o reencontro seja com o inúmeras vezes já visto, não deixa de ser um prazer revisitado, mas diferente.
Olhar e deambular por esta beira mar é sempre um outro e novo olhar.

Deambular por esta beira mar, como aconteceu ontem de manhã, foi passear pelo gosto do passeio e pelo prazer da companhia!
Ver as mesmas coisas através de ângulos diferentes, continua a ser um programa aliciante, a que me proponho sempre que a ocasião surgir...
E vai surgir... Apenas pelo gosto de deambular por ali, por aquela beira mar, sem destino, apreciando as belezas do local – que, ontem de manhã, eram muitas...

Este é o tempo de aproveitar a bonomia de um tempo, já outonal, a despedir-se dos tons lindos do verão (verão faz lembra profusão de cores...) que, entretanto, feneceu...
A linha do horizonte faz lembrar um abraço entre o céu e o mar – uma reunião irrepetível de todos os dias naquele local.
Deixo-vos com uma pincelada fotográfica do prazer, suave e demorado, que vivi na caminhada desta manhã até ao farol do molhe sul.  

Sem comentários: