.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Senhores autarcas figueirenses e covagalenses: queremos um país que dê a todos os jovens uma educação de qualidade, a oportunidade para se qualificarem para serem cidadãos conscientes, activos, participativos, inovadores? Tenham paciência, mas V. Exas. estiveram mal, pois esse objectivo passa por isto...

Diário de Coimbra
"Crianças da Cova-Gala concluíram ontem o “projecto” de Pedro Cruz, ao plantar 1026 pinheiros comprados com a verba angariada na “exposição”.
A mata junto ao parque de Orbitur na Cova-Gala “cobriu-se” ontem de alegria com mais de uma centena de crianças da escola básica da Cova-Gala, a colaborarem no projecto “Alerta Costeiro”, do fotojornalista Pedro Agostinho Cruz. Sensibilizados pelos professores, que inseriram a iniciativa no programa “Eco-Escolas”, os mais pequenos “adoptaram” os pinheirinhos e prometem tratar deles nos próximos anos. O director do Agrupamento de Escolas da Zona Urbana Adelino Matos, explicou que os docentes «vão criar áreas específicas da escola (diferenciada da dos adultos) para as pessoas perceberem que as crianças estimam mais a natureza e vão tratar dos pinheiros»."

As Beiras

"O “alerta” foi dado por Pedro Agostinho Cruz, através da sua exposição em formato de jornal, em junho deste ano. A fase final do projecto “Alerta Costeiro 14/15” decorreu ontem, no pinhal da Cova Gala, e reuniu mais de uma centena de crianças, entre outros. No total, foram plantados 1026 pinheiros mansos. “O objectivo foi sensibilizar os mais novos para a questão da erosão costeira e o avanço do mar. Acho que a mensagem passou”, disse o fotojornalista Pedro Agostinho Cruz. O projecto está, agora, nas mãos de quem se quiser associar. “Não posso dizer que tem um fim. Os pinheiros terão acompanhamento, garantindo uma maior taxa possível de sucesso”, acrescentou o fotojornalista. “Espero é que haja outras pessoas com responsabilidade a fazer algo por isto. Obviamente que devia ser feito há mais tempo, peca por tardio”, sustentou. Pedro Agostinho Cruz enalteceu o apoio da editora Palmier Books e do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, que através dos seus técnicos e engenheiros preparam o terreno para a plantação. Entretanto, o Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz (AEZUFF) que se fez representar pelos alunos da Escola da Cova Gala, integrou o “ Alerta Costeiro 14/15” no programa Eco Escolas. O AEZUFF irá também acompanhar o crescimento dos pinheiros.
Recorde-se que o projecto de Pedro Agostinho Cruz esteve marcado para ser apresentado, em fevereiro do corrente ano, no Mercado Municipal de São Pedro. No entanto, o presidente da junta, António Salgueiro, não quis que uma das fotografias integrasse a exposição. O fotojornalista não baixou os braços e deu o “alerta” em formato de jornal. Pedro Agostinho Cruz transmitiu ontem que os convites para a acção de reflorestação foram feitos. “As pessoas foram convidadas por escrito. Não acho estranho, não estarem cá. Para mim é mais estranho nunca terem feito nada”, disse o fotojornalista, sustentando que “houve um choque de ideias em prol da freguesia de São Pedro”. 
“Tudo o que existe é um acto de cidadania. Se as pessoas não tiveram cá é porque não quiseram”, rematou." 

1 comentário:

Anónimo disse...

Eu sei que não vais publicar este comentário porque é anónimo mas só queria dizer que o Pedro e esta iniciativa mereciam mais respeito é só não dizes o que te vai na alma atendendo á consideração que tens pelos teus leitores.
Abraço.