sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Todos os rios do nosso País têm barcos tradicionais a navegar

7 comentários:

Anónimo disse...

Dêem-no ao Simão, que ele faz uma rotunda e mete-o lá.

Pingú Basófias (filho de Adosindo Basófias) disse...

Bem! Nas rotundas até que não ficam mal...Até que é uma boa ideia! Seja ela de quem for! Sempre mostra a quem passa!
Quanto a estes barcos de que fala o senhor, a Figueira e os arredores, querem lá saber de tradições...a Figueira vive para o futuro, para o modernismo. Viva o modernismo.
Cadê a escultura "A Preguiça" que estava no antigo Jardim Municipal? Sim! Onde afinal de contas pára o modernismo, que atraiu as povoações limítrofes em busca do pecado. Não querem lá ver ! Colocaram uma mulher deitada com os seios à mostra!! Que horror! Que dirá o senhor padre! Mas vamos lá ver ! Anda Tóino, entã toda a gente vai ver, nós também vamos!
É como as embarcaçôes tradicionais, ou desaparecem ou a gente dá cabo delas! Depois aparece alguém a dizer que eram importantes, desculpe lá ó vizinho, nós cá já tivemos disso, no tempo do meu pai, mas queimamos tudo, era tudo a modos que velho! Sem préstimo1 Tá a ver?
Não era! Pois era! Aprendam que a gente não dura sempre!

Vitor Coelho disse...

Acho e já dei também em outros Blogs entre eles este, que o melhor a fazer ao "Sal do Mondego" era a Presidente de Junta de Lavos pegar nele e colocar no Largo dos Armazéns de Lavos, porque aí sim ficaria perto do Museu do Sal e do local onde onde ainda se encontram os despojos de alguns barcos de sal antigos...se nunca viram, passem por lá e na maré baixa lá estão as cavernas resistentes a todas as marés ao longo de imensos anos, mas voltemos ao "Sal do Mondego" esse só não navega por causa do mau entendimento entre a quem pertençe ou a quem deve tomar conta do mesmo, em tempos quem era a pessoa que tomava conta do barco era o "Pocinho" altura das fotos em que se encontram neste blog...agora com as obras da ponte está ao abandono no fim do Portinho da Gala perto dos noventas talhos, nem lugar tem no mesmo portinha para estar mais visivel a quem passa, é que onde está é mais fácil esconder a degradação do mesmo...ora se o Sr.Simão (Junta de São Pedro)não tem a capacidade de cuidar do mesmo que tratem de falar com alguém para cuidar do barco...isso SIM é que ser humano e ter algum gosto pelas coisas que todos nós devemos preservar...este barco sendo o único devia ser muito bem preservado e cuidado mas os nossos politicos não têm essa formação pedagócica.
Fico-me por aqui, mas espero que vejam com atenção o quanto já foi gasto com este barco, Junta de Vila Verde, Junta São Pedro, Junta Lavos e mais algumas Associações que gastaram uma pipa de massa para agora estar dotada ao abandono...é triste.

Anónimo disse...

Infelizmente há muita gente que dá bitaites de tudo e mais alguma coisa, sem saber em concreto o que se passa.Neste blogue, salvo raras excepções,isso é por demais evidente.
Contudo, nas opiniões e noticias dadas, nota-se um grande azia de alguns "bitaiteiros", que até parece uma pandemia.
Penso que devem primeiro,informar-se de quem é o propriétário do barco e depois emitir opinião.

António Agostinho disse...

Vão a http://outramargem-visor.blogspot.com/2006/05/sal-do-mondego-navegar-preciso.html.
Fioam a saber de quem é este batel. Isso é público.

Anónimo disse...

É urgente o "Outra Margem" actualizar-se.Parece que anda distraído.Em 2006/05 era assim.Mas também é público(os jornais regionais,disso fizeram eco)que actualmente já não é assim.

Stein disse...

Ao autor deste Blog recupere nova informação porque a informação que nos indica em http://outramargem-visor.blogspot.com/2006/05/sal-do-mondego-navegar-preciso.html

Faziam parte desta parceria as seguintes Instituições: Assembleia Figueirense, Associação Comercial e Industrial, Ginásio Clube Figueirense, Misericórdia da Figueira e as Juntas de Freguesia de São Julião, Alqueidão, Vila Verde, São Pedro, Lavos e Maiorca.


Mas agora o barco já não se encontra no Portinho da gala, que na minha opinião para já seria o lugar indicado para estar...mas está ao abandono entre os noventa talhos, a quem pertençe afinal o "Sal do Mondego"? alguém me sabe dizer? Só sabem criticar isso é verdade, mas da critica ás vezes abrem-se luzes.