Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

sábado, 30 de outubro de 2021

Política e poesia

 Uma pergunta do Expresso:
"Face à responsabilidade do chumbo ser da esquerda, o eleitorado vai manter-se fiel?"
A resposta de Catarina Martins:
"A pergunta é interessante porque mostra que a direita não conta nada para a política nacional neste momento. A direita está embrenhada nas disputas sobre lideranças, está a pensar qual é a barbárie q.b. com que pode fazer uma maioria de governo. As decisões tomam-se no campo da esquerda".
Estamos no final de Outubro.
O que resta da passagem do tempo?
Os dias vêm e vão: passam.
Tal como páginas de um jornal que se esquece no dia seguinte. 
Ou tal como quando se viaja de comboio, olhando pela janela vemos, sem pensar em nada de especial, a paisagem a desaparecer no horizonte.
Das viagens que fizémos ao longo da viagem que é a vida, o que nos acompanha?
Um pôr-do-sol, uma esplanada junto ao mar, uma paisagem silenciosa, uma tasca diferente, um concerto?                  
Ou o olhar fugaz de uma mulher desconhecida, mistério e rescaldo que perdura entre as cinzas de tudo o resto?
Que é nada.

Sem comentários: