.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 26 de julho de 2018

“Uma discriminação positiva”?..

"A Câmara da Figueira da Foz atribuiu, este ano, apoios de 44200 euros às nove filarmónicas do concelho no activo, numa cerimónia realizada, ontem, no salão nobre da autarquia.
No total, existem no concelho 445 músicos ao serviço das filarmónicas e 215 alunos frequentam as aulas por elas ministradas. O presidente da câmara, João Ataíde, frisou que a Figueira da Foz é o concelho do distrito de Coimbra com mais bandas. Já foram 10, mas, entretanto, a Dez de Agosto foi desativada. Neste momento, continuam no activo e fi armónicas nas freguesias de Alhadas, Alqueidão, Lavos (Carvalhais), Buarcos e São Julião (Filarmónica Figueirense), Ferreira-aNova (Santana), Quiaios, Maiorca, Vila Verde (Lares) e Paião. João Ataíde realçou que as bandas são uma tradição no concelho com mais de um século, algumas delas aproximando-se do bicentenário.
A atribuição dos cerca de 44 mil euros representa, ainda, “uma discriminação positiva” por parte da autarquia, tendo como beneficiário as nove bandas filarmónicas que têm formado várias gerações de músicos figueirenses. A verba está inscrita no Orçamento da Câmara da Figueira da Foz de 2018. "
Via AS BEIRAS
Nota de Rodapé.

 "Gliding Barnacles, edição 2017: orçamento deste ano rondou os 60 mil euros, dos quais 15 mil foram comparticipados pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, que ainda disponibilizou apoio logístico".


A quanto obrigam, ó céus...!,  as fidelidades partidárias e o medo de ser discriminado...
Parabéns, pois, aos dirigentes associativos submissos...

Sem comentários: