.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Fernando Campos regista o retorno do vereador Tavares aos jornais

“Napoleão Bonaparte dizia que nunca se deve interromper um inimigo quando ele está a cometer um erro. A verdade porém é que não considero o vice-presidente um inimigo; nem me considero aliás visado pela artilharia vaga deste colunista das beiras (tenho quase a certeza que ele, na sua douta ignorância, nem sequer sabe que este blogue existe, nunca cá veio, nem conhece ninguém que o tenha feito) e  enfim, não sou nenhum napoleão; não cultivo aquilo a que o imperador dos franceses chamava “inimigos” - não que não os tenha, mas a mim (não sei porquê, embora imagine) eles não se me declaram.
Posto isto, permito-me considerar que António Tavares comete um erro e, já agora, que também ele não é nenhum Bonaparte – quero dizer, ele já é pro-cônsul da Figueira e pode ser que chegue a cônsul e até, depois, a imperador, mas nunca será um grande estratega – essa é que é essa”, escreve o Fernando Campos...
Que mais adiante, e a terminar,  remata:
“O que me parece que ele teme (e é natural, tal como em Napoleão) é o que não controla. E isso agora está nos novos suportes das tecnologias da informação: a expressão livre da opinião.”

1 comentário:

Anónimo disse...

DIZ O FERNANDO;Tavares comete um erro:
SE FOSSE SÓ UM ERRO ATÉ QUE NEM ERA MAU.
SÓ QUE É ERRO ATRAZ DE ERRO E OS TIRROS NOS PÉS ACUMULAM SE.