.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

À medida e à descarada...

Na avalanche de concursos abertos para a administração pública, nas últimas semanas - que estão sob avaliação da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública (CRESAP) - há critérios apontados e preferências definidas que apontam para cargos à medida. Dá-se preferência, por exemplo, a quem tenha desempenhado "cargos de dependência directa de membro do governo" e noutro "a prestação de apoio técnico especializado aos membros dos gabinetes do Ministério das Finanças".
Os critérios estão lá todos, mas  o requisito principal  resume-se a isto: boy com experiência de boy!..
Hoje o DN noticia mais um concurso à medida...
"Subdirector-geral do Tesouro tem curso de Engenharia e Gestão Industrial e experiência em imobiliário como era exigido para o cargo".
Isto é menos que terceiro mundo?..

1 comentário:

Anónimo disse...

...ai aguenta, aguenta!

Independente dos partidos políticos que estiverem no governo, os tachos contínuam, para além de quem possa ser mais qualificados para cargos.

Cortam-se postos de trabalhos de funcionários públicos a ganhar salários inferiores a 1000 € e cortam-se pensões a reformados doentes e na pobreza. Mas, criam-se posições com salários acima de 3000€ para pessoas sem qualquer tipo de experiência profissional, mas porque é importante que filhos de banqueiros, políticos ou outros VIPs não tenham de entrar a competir no mercado de trabalho nem necessitem emigrar.

Portugueses, isto revolta! Até quando o povo consente o abuso do poder instalado, Cada vez mais uma ditadura?

http://opaisquetemos.wordpress.com/2014/01/24/ai-aguenta-aguenta/