.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Estacionamento pago no hospital foi assunto polémico na reunião de ontem

Foi o vereador e líder da coligação Somos Figueira quem tomou a iniciativa de abordar o assunto, ontem, na reunião de câmara. Miguel Almeida começou por solicitar uma reunião com a administração da Figueira Parques, a empresa municipal que requalificou o parque de estacionamento pago do Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF), que está aliás a explorar.
O autarca da oposição ressalvou que só não aprofundava a polémica questão por lhe restarem “algumas dúvidas”, depois de ter lido o contrato. No entanto, acrescentou: “ficou claro que o presidente da câmara é a favor, porque assinou o contrato”. Miguel Almeida constatou, por outro lado, que o documento fora assinado três meses antes das eleições autárquicas.
Porém, atirou, ficou na gaveta e só viu a luz do dia depois do ato eleitoral, dando a entender que o executivo socialista não o tornou público antes devido à impopularidade da decisão que permitiu taxar o estacionamento no hospital. Por outro lado, frisou ainda: “tendo em conta a dimensão daquilo que estava a ser tratado, não acho correto que a assembleia geral – a reunião de câmara - não se tivesse pronunciado”.

“Só quero fazer bem às pessoas”

João Ataíde, por seu turno, afirmou que só assinou o contrato “porque pensava que não ia prejudicar os utentes”. Para tentar remediar os prejuízos, o presidente da câmara adiantou que tem uma proposta que visa aplicar “um tarifário quase simbólico”, mostrando-se aberto a sugestões.
“Só quero fazer bem às pessoas. E vai ver como vou fazer bem às pessoas”, frisou o edil.
O presidente reiterou as razões que o levaram a rubricar o polémico contrato.
“O meu acordo visa satisfazer uma situação de ordenamento do estacionamento na área envolvente do HDFF e agilizar uma necessidade do hospital, e não tem fins lucrativos, pelo contrário”, sublinhou.

Assunto fedorento

João Portugal também se pronunciou sobre “este assunto que já cheira mal”, referiu. Para o vereador do executivo, o que se passou foi que “o HDFF solicitou à câmara a colaboração para melhorar o trânsito e o município disponibilizou-se a ajudar na melhoria dos serviços dos HDFF, apesar disto ser da competência do Governo”.
Antes de lançar um repto ao líder da oposição, Portugal classificou o debate que se arrasta em torno do estacionamento pago do hospital “um número político para fazer manchetes nos jornais”. A seguir, veio o desafio, que consiste em o PSD pedir ao ministro da Saúde que autorize o HDFF a pagar os 80 mil euros aplicados pela Figueira Parques e, assim, “o problema fica resolvido”.
Miguel Almeida, porém, não se deixou impressionar e retorquiu afirmando que “ficou claro que o PS também defende o parque de estacionamento”. O vereador solicitou ainda uma reunião, com carácter de urgência, com a Protecção Civil, para esta se pronunciar sobre a entrada de viaturas de emergência no parque de estacionamento pago. E considerou, por outro lado, “perigoso” que o HDFF tivesse pedido à câmara para requalificar o parque a fim de resolver um assunto num espaço municipal.  (AS Beiras)

3 comentários:

Anónimo disse...

O senhor deputado/vereador/politico profissional certamente o que queria dizer é que é incómodo questionar assuntos que causam prejuízos às pessoas...
O PS fez a burridade, com muita dose de esperteza saloia ao assinar um contrato 3 meses antes das eleições e depois veio a concretizá-lo depois de alcançar o poder.
A isto chama-se chico espertice...

Anónimo disse...

Que grandes socialistas... (de aviário)

Anónimo disse...

Foram aconselhados pela Aguiar e pela Almeida!!!

Mas o bom Juiz, vai ser por cima! Ele só quer fazer o bem às pessoas!!


Vocês vão ver!!!....