.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Caso da morte de dois pescadores na Ponte dos Arcos em 2007: recomeçou ontem no Tribunal da Figueira da Foz o julgamento

 Clemente Imaginário, 69 anos. Manuel Pata, 71 anos.
 P
erderam a vida no rio que conheciam desde sempre. 
Um dos sete arguidos no julgamento da morte de dois pescadores, há sete anos, no rio Mondego, disse ontem que a Capitania do Porto também devia responder em tribunal, imputando responsabilidades à autoridade marítima. «Naquele caso é muito estranho que a Capitania não tenha feito a interdição do canal com os perigos que lá estavam identificados (…). Falta aqui um arguido, que é a Capitania», disse em tribunal António Churro, que, à data dos factos, era adjunto da delegação Centro do Instituto Portuário e de Transportes Marítimos (IPTM).
À margem da sessão do julgamento, Louro Alves, na altura comandante da Capitania do Porto da Figueira da Foz –  será ouvido hoje, durante a sessão, que começa às 09H00 –, afastou a responsabilidade que foi “atribuída” à autoridade marítima. “A responsabilidade era da entidade administrativa”, afirmou, em declarações aos jornalistas. “São águas interiores, estava na área de jurisdição do IPTM”.

Sem comentários: