.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Autárquicas 2013: o que podem esperar os figueirenses?..

Aquilo que se exige, a meu ver, neste momento da vida do nosso País, de uma câmara como a da Figueira,  é que para além da gestão rigorosa dos recursos financeiros e humanos existentes, esteja direccionada preferencialmente para as necessidades dos figueirenses.
A análise que faço, até ao momento,  da campanha política de Miguel Almeida, que já dura há vários meses, é que tem sido uma demonstração pura e dura do papel que desempenha hoje em dia a propaganda, em detrimento da  comunicação das soluções para resolver os problemas reais.
Nem sequer me estou a referir a ideias políticas ou a  ideais...
Na ausência dos grandes discursos ideológicos, o que é importante é a comunicação.
Mas, Miguel Almeida, pelo que tenho acompanhado da sua campanha,  certamente porque, por necessidade, quer esconder a todo o custo a sua ideologia,  tem uma dificuldade acrescida para passar a mensagem: ainda não conseguiu colocar cá fora uma pequena frase, um slogan, uma ideia - nada que motive os indecisos a decidir-se.
O “Prá Frente Figueira” é fraquinho, inócuo e, sobretudo, nada original.
Diga-se porém, em abono da verdade, que do outro lado, as coisas não vão melhor.
A esquerda ainda não demonstrou  ter ideias claras e medidas concretas sobre o que é verdadeiramente relevante para o futuro do nosso concelho .
Depois, sobre aquela que para mim é a questão  de fundo, a esquerda está  dividida: estou a referir-me ao problema da privatização das águas da Figueira.
A política faz-se com  habilidade, mas com coerência. Por isso, não estou muito optimista com  o que vai resultar de útil do acto eleitoral de 29 de Setembro próximo para o concelho da Figueira.
Uma coisa, porém,  dou como adquirida.
Até ele já sabe isso: Miguel Almeida é, desde já,  um candidato derrotado.
Só admitiria outro resultado se se verificasse uma das duas hipóteses, que são obviamente completamente inverosíméis:
1 - Os figueirenses desconheciam que havia outros candidatos...
2 - Os figueirenses  seriam os portugueses mais  burros...
Como não acredito nisso, apesar de tudo, estou razoavelmente optimista...

1 comentário:

João Tomé disse...

Seria bom que a memória do que foi dito e feito na Assembleia Municipal durante os últimos 4 anos fosse revivida.
Se isso fosse feito, o BE seria o verdadeiro vencedor das próximas eleições.
Mas, como "o Povão portuga" tem mêdos atávicos bem definidos no "velho do Restelo" de Camões, não há a coragem de virar o leme todo a bombordo.
Temos soluções reais, concretas e factíveis. Pelo menos, oiçam-nos!