.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sexta-feira, 29 de março de 2013

É PRECISO SALVAR A ARTE…


Os pescadores da Praia de Mira são daqueles homens que trazem a vida marcada nas mãos. São homens que desde há muitos anos se fazem ao mar com uma coragem imensa para dar de comer aos filhos, sem nunca saberem como vai ser o regresso.
São gerações e gerações de homens nascidos e criados para pescarem a sua sobrevivência, enfrentando a força do mar e o seu destino.
Homens que nunca viraram as costas ao mar e às suas gentes. Que nunca desistiram de sair para o mar para fazer aquilo que é mais do que um ganha-pão, é a sua vida.
Uma das expressões mais claras das consequências ruinosas da adesão de Portugal à União Europeia é a destruição do setor das pescas.
Os princípios e objetivos da Política Comum das Pescas são profundamente gravosos para a economia nacional. Apesar de termos a maior zona económica exclusiva da Europa, aos pescadores portugueses é vedada a possibilidade de exploração adequada e justa dos nossos recursos naturais. Ao longo dos anos, sucessivos governos do PS, PSD e CDS promoveram o abate das embarcações e a abertura da zona económica exclusiva a frotas estrangeiras, concretizando uma política criminosa para o país.

Os pescadores da Praia de Mira, uma crónica de Rita Rato, deputada do PCP.
Para continuar a ler, clicar aqui.

Sem comentários: