quinta-feira, 12 de abril de 2007

Ontem não foi dia de televisão!...


Não tirei bacharelato, mas também ninguém me trata por bacharel...
Não tirei licenciatura nem doutoramento, mas já aqui me trataram por doutor...
Não tirei mestrado, mas já me trataram por mestre...
Como diria o outro é o "Sistema" em Portugal...
Mas, eu, asseguro, que sou contra o “Sistema”...
Será que a culpa é das novelas do Brasil...
Lá, dr., é alguém com poder e que deve ser respeitado por esse poder...
Em Portugal, ser tratado por dr. ou engenheiro, pelos vistos, pode vir a ser caso de vida ou de morte!...
Mas, só assim, se consegue o respeito dos outros...
Senão, era o caos, éramos todos iguais.. Ganhavamos todos o mesmo... Toda a gente trepava como queria...
Havia de ser lindo, havia!...
Já, assim, é o que é... Ninguém respeita ninguém!..
Mestres? Doutores? Engenheiros? Licenciados? Bacharéis? Técnicos e Técnicos Auxiliares?.. Que importa!...
Devíamos é ser respeitados pelas pessoas que somos...
Os que tiveram e os que não tiveram possibilidades para tirar um curso...
Acabem com os títulos...
Senhor Sócrates: trate mas é do que é importante para os Portugueses.
O Paulo Dâmaso e o Pedro Fernandes Martins que tirem o “cavalinho da chuva”: vocês não são únicos e exclusivos - eu também não me preocupei com a entrevista do Sócrates.
Fui jantar fora!... E arejar as ideias...
Ontem, não era dia de televisão!...

8 comentários:

Tó (da Lota) disse...

Claro, não foi ontem, nem é hoje.
Há alguns anos costumava dar na RTP um filme chamado "A Aldeia da Roupa Branca".
Ontem e hoje está a dar outra vez.
É muita repetição para o meu gosto.
Muita lixívia, muito sabão.
Bate-se muito até ficar branquinha.
Põe-se a corar, lava-se outra vez e põe-se a secar.
Depois passa-se e arruma-se.
Qualquer dia veste-se outra vez.
Para levar à festa.

Vanessa disse...

Porque é que em Portugal quando uma pessoa é licenciada tem de ser tratada por Doutor(a)? Não é suposto um Doutor ser uma pessoa com um Doutoramento ou até mesmo um médico?
Pois é, aqui nos Estados Unidos doutores são só os médicos. O resto, advogados, engenheiros, professores, etc e tal são todos tratados por TU!
E depois até acho piada o pessoal daí quando termina a licenciatura colocar nos cheques Dr. Fulano Tal e Drª Sicrana. Foi uma coisa que sempre me fez confusão esses títulos, só para dar ênfase ao nome e um pouco de superioridade em relação às outras pessoas!
Agora em relação ao Senhor Sócrates, ouvi dizer por estas bandas que ele não terminou o curso, isso é verdade ou não passam de rumores? Mas está claro, não deixa de ser Engenheiro!!!

Pedro Fernandes Martins disse...

Caros companheiro da blogosfera figueirense, eu não sou nem quero ser exclusivo. Se ler o comentário que eu deixei na Confraria das Bifanas com atenção pode reparar que eu não refere nennhuma alusão a exclusividades. Não consigo interpretar bem a maneira como se expressa neste post, talvez seja isso. A verdade é que, tal como nós, a maioria dos portugueses não se interessou pela entrevista, não concorda comigo? Enfim, tudo não passa de um mero comentário num blogue. Mas, já agora, gostava que me esclarecesse acerca da citação que fez do meu nome, em especial. Não tenho que me importar com o Paulo Dâmaso no que toca a esse aspecto. Boas postagens! Talvez agora surja alguém a dizer para nós os 3 tirarmos o cavalinho da chuva porque não somos exclusivos

Tó (da Lota) disse...

Tá vendo, Blogueiro?
Foi à lenha e trouxe de lá uma carga dela. Escusadamente, não acha?
Meta aí umas futeboladas para variar.

Pedro Fernandes Martins disse...

Ah, peço desculpa caso esteja a ser mal interpretado. Eu acho este tema uma coisa mesmo muito banal. Uma tempestade num copo de água. Penso que não importa muito saber se o PM tem ou não uma licenciatura. E concordo absolutamente consigo quando diz que ontém não foi dia de televisão. Penso que fez muito bem em sair e espairecer, os verdadeiros prazeres da vida é que devem ser aproveiados. Peço desculpa se disse alguma coisa inconveniente ou se fui mal interpretado. O Vaga Aberta (http://vaga-aberta.blogspot.com) está e estará sempre à sua disposição para qualquer coisa. É só dizer. Afinal de contas nós queremos é que a blogosfera figueirense esteja no topo, uma vez que é um bom meio para divulgar e honrar o nosso concelho. E a freguesia de S. Pedro, mais concretamente, como é o seu caso. Boas bloguices!

Agostinho disse...

Caro Pedro Fernandes Martins, só agora, por afazeres, vi os seus comentários, que agradeço.
Tudo bem. Mal esteve o tó (da lota), mas isso já é o habitual e ninguém estranha...
Como diz o amigo, se o Primeiro tem ou não licenciatura isso até não é importante.Importante é que governe no sentido de melhorar a qualidade de vida de quem habita este rectangulo...
Um abraço

martinha lacerda disse...

Ora cá a martinha que tirando as espreitadelas ao futebol do Cova-Gala cá pelo geriátrico pouco mais tem que fazer e deu uma vista de relance ao “exame” do nosso Primeiro.
E o que viu deixou-a preocupada.
È que Sócrates de certo modo imolou-se. Não precisava deste exame para nada. Ou tudo era regular e nada havia a explicar ou não era e todas as explicações seriam suicidárias.
Antes da sua patética ‘explicação’ Sócrates era criticado por nada dizer. Mas não era uma crítica. Era uma provocação. E Sócrates caiu que nem um pato. Agora é criticado por nada ter dito de novo. Por só ter ‘explicado’ o que já estava explicado. Por não ter explicado o inexplicável. Os quatro exames num dia feitos por um reverencial assessor de um secretário de Estado do mesmo governo a que Sócrates pertencia. As pressões e ameaças sobre os jornais rádios e jornalistas. A disponibilidade do senhor reitor. Sócrates veio pedir-nos que fingissemos acreditar nele e esquecessemos tudo. Mas na política não há fingimentos perpétuos nem piedade nem perdão.
As velhas são tramadas senhor Sócrates!...

Tó (da Lota) disse...

Caro Dr. agostinho:
Você, caramba, passam-lhe a mão pelo pêlo e põe-se logo a jeito.
Está a cair no erro e postura que tinha abandonado, ou metido na gaveta, ao adorar aqueles (também, era o que aqui aparecia...)comentários do: Éh pá, bela foto, pá. Continua, força, pá, bela foto.
É o tipo de coisas que se dá a quem anda muito por baixo. não me parece o seu caso.
Frontalidade e atitude faz falta por aí.
Até um destes dias.
Vou correr a borda que a maré está a descer.