.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

domingo, 26 de novembro de 2006

Sepins 1 Cova-Gala 2


Campo Engenheiro Barreiros
Árbitro: Augusto Cunha
Assistentes: Nuno Lucas e José Silva

Sepins: Quim; Rasteiro (cap.), Márcio, Hugo F., Bruno, Cláudio (Beto aos 45m), Marco (Joel aos 85m),Rui (Ricardo aos 77m), Salgado, João e Tó-Vim

Suplentes não utilizados:
Nuno, Gonçalo, Pinto e Belo
Treinador: Fernando Pessoa

Cova-Gala: Bolas; Rafa, Copinho, Hugo, , Dani, Tó Jó (Paulo aos 66m), Alex, Ivo (Ivo Cruz aos 76m), Rui Camarão (cap.) e Lambreta ( João Tiago aos 85m)

Suplentes não utilizados: Rui, João Pedro e Dias

Treinador: Carlos Silva
Resultado ao intervalo: 0– 1

Golos: Lambreta (2 e 51m) e Tó-Vim aos 81m

Disciplina:
Amarelos: Dani aos 23m, Hugo F. aos 28m e Hugo aos 44m
Vermelhos: Rato por acumulação aos 20 e 68m, João por acumulação aos 31 e 37m e Rafa por acumulação aos 33 e 39m

Vitória justa da equipa visitante.
Todavia, os números não expressam a superioridade do Cova-Gala, dado que esta equipa desperdiçou várias oportunidades para ampliar o resultado.

8 comentários:

Anónimo disse...

Bastou uma vitória para desnudá-los. Os oportunistas, que quais vampiros, estavam à espreita da oportunidade...
Pensavam que uma ou duas derrotas da equipa senior dariam para alcançar os seus fins..
Vampiros é o que são..
Os verdadeiros amigos do Clube conhecem-se e reconhecem-se...
Foi bom e tudo ficou ainda mais esclarecido e clarificado...
O Fábio tá para durar...
Custa a engolir, não custa?
Aguentem e tenham paciência.
Estavam à espera de mais uma derrota e esta vitória deixou-os sem fala...
Ficámos a conhece-los, sabemos quem são e como são, a roupa que vestem, o que pensam e como agem.
"Pode-se enganar poucas pessoas durante muito tempo e pode-se enganar muitas pessoas durante pouco tempo. Mas não se pode enganar todas as pessoas o tempo todo!"

Anónimo disse...

Estávamos em 1969. A rivalidade entre as povoações de Cova e Gala era bastante acentuada. Os Evangélicos, através do pastor Esperança chamavam a estas povoações de "Cova da Gala", o que foi continuado pelo Reverendo João Neto.
Nesta altura o Desportivo Clube Marítimo da Gala tinha acabado de perder o seu campo de futebol. A Câmara Municipal da Figueira da Foz tinha vendido o terreno, onde este se encontrava, á TERPEX.
Dois directores (José Vidal e Manuel Afonso Baptista) do Desportivo Clube Marítimo da Gala - Centro de Recreio Popular Nº72 - resolveram ir à Direcção Geral das Florestas e pedir ao sr. Engenheiro Gravato a cedência duma fábrica em ruínas que existia no Cabedelo. O sr. Eng. Gravato disse-lhes que podiam fazer o campo nessas instalações velhas, mas que teriam também de pedir a alguém na Casa dos Pescadores de Buarcos, visto eles se intitularem com direitos à dita fábrica.
Juntaram-se a estes dois directores mais alguns elementos, tais como Manuel Curado, Inácio Pereira e outros ligados ao sector da pesca. Atendidos pelo sr. Tomás, este disse estar na disposição de ceder as instalações, tanto mais que ambas as entidades as reclamavam para si e assim a partir dessa data ficariam para as povoações de Cova-Gala.
Estando este caso esclarecido, foi então feito um peditório pela povoação para o aluguer duma máquina de terraplanagem, a qual serviu também para o início da abertura duma ligação à praia da Cova (hoje Rua do Mar) e outros caminhos. Os primeiros montes de solão, cedidos pelo sr. Manuel Paralta (padeiro) vieram de Lavos, trazidos por batéis para a borda do rio e dali carregado para o campo de futebol.
Era o princípio do fim da rivalidade que existia entre a Cova e a Gala. Foram tempos difíceis para se avançar com a feitura do campo. O solão não havia em abundância e o saibro também não estava muito em uso. Foi preciso esperar mais alguns anos, até que alguém, com vontade férrea de vencer estas rivalidades fez vingar a ideia da vivência pacifista. Foram eles, os fundadores do Grupo Desportivo Cova-Gala. Foram eles, que mais do que construir um campo e uma equipa de futebol, tinham em mente a unificação total destas duas povoações.
Para estes valorosos cidadãos, o nosso sincero obrigado!

(http://grupodesportivocovagala.cidadevirtual.pt/)

Anónimo disse...

SÓCIOS FUNDADORES



João Ribeiro Cura

Carlos Pereira Mano

Armando Figueiredo

Domingos Gafanhão

Luís Maria Pereira Mano

Américo Coelho Carvalho

José da Cruz Bóia de Brito

Alexandre Nunes de Oliveira

Carlos Alberto de Jesus Lima

António Samuel Pereira Matias

José de Assunção Afonso Lima

Domingos Manuel Mano Casqueira

Anónimo disse...

Força cova!!!!!!!!!
esta vitoria deve ter servido pra calar mt gente.....
FORÇA.....

Anónimo disse...

Não fui ver o jogo pois não me foi possível
O Cova-Gala ganhou, ainda bem...
A minha questão é simples :
Gostaria de saber o porquê desta equipa levar tantos amarelos e vermelhos?
Aguardo resposta

Anónimo disse...

tou francamente admirado... a vampiragem emigrou!...

Anónimo disse...

Entao senhor Agostinho a Martinha Lacerda calou-se..se vc n postar este post é porque o senhor era a Martinha Lacerda..E se isso acontecer a ONU vai atacar e ai vai haver alguns feridos, n é senhor Agostinho...
P.S: VOLTA MARTINHA O BLOG TA PRECISAR DESSAS TUAS CARTAS PROVOCADORAS..

Anónimo disse...

a vampiragem emigrou porque n os deixa falar..agora o mantorras e o agostinho ja n deixam postar as verdades, cortaram as pernas as pessoas, pa falarem o que pensam..agora aqui so e aceite o post de quem falar bem do fabio e do treinador..