"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Palhinhas, Beatas & Ramelas

4 comentários:

Anónimo disse...

Este comentário sai um bocadito do ambito da coisa, mas vale a pena. há dias queriam-me comer quando falei em negociatas do peixe por baixo da porta.
É tudo para privatizar. Acaba-se a roubalheira e os compadrios com os negociantes.

Governo diz que a actual Docapesca tem nove meses de vida
02.11.2006 - 18h46 Lusa

O ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Jaime Silva, disse hoje que a Docapesca, nos actuais moldes, tem apenas nove meses de vida.

"A preparação do próximo Orçamento de Estado não considerará verbas para suportar os seus prejuízos acumulados, que totalizam 30 milhões de euros", frisou Jaime Silva.

O ministro, que falava em Lousada à margem da inauguração do Laboratório Interprofissional do Leite e Lacticínios (LIP), salientou que "não vai ter outro Orçamento de Estado com verbas para suportar os prejuízos da Docapesca. Este ainda as terá, o próximo já não".

"Temos, portanto, mais nove meses para resolver o problema", acentuou Jaime Silva, que admitiu uma parceria com pescadores e armadores para a gestão da Docapesca, que tem 14 delegações em todo o país, 20 lotas e 50 postos de vendagem.

Na terça-feira, o ministro tinha equacionado o encerramento da empresa, mas não estabeleceu um prazo-limite para uma solução definitiva.

Jaime Silva admitiu que uma saída possível para o problema da empresa responsável pela primeira venda de peixe, com um passivo acumulado de 30 milhões de euros, pode passar pelo envolvimento de pescadores e armadores na gestão.

"Se as organizações de produtores quiserem assumir algum papel de gestão na lota, o Governo está disposto a encontrar soluções. Se não houver soluções, o Governo não deixa que a Docapesca continue a acumular passivos. Isso vai acabar", afirmou.

Além do seu passivo, a Docapesca, disse o ministro, nos actuais moldes de funcionamento, não satisfaz nem pescadores, nem consumidores.

"Os pescadores queixam-se sistematicamente de que não ganham para os custos e os consumidores, quando vão à praça, verificam que a diferença de preços é de um para sete e, em muitos casos, maior".

Jaime Silva acrescentou que o consumidor, além de pagar o peixe mais caro, também paga nos impostos os passivos da Docapesca.

Nos últimos anos, a Docapesca tem apresentado sucessivamente prejuízos, com excepção de 2003, quando conseguiu um resultado positivo de 730 mil euros.

Segundo os relatórios e contas da empresa, no ano passado, o prejuízo foi de 1995 milhões de euros contra 1845 milhões em 2004. Para 2006, a administração da empresa prevê novo resultado negativo, de 1,5 milhões de euros.

Anónimo disse...

Excelente cartoon, diz tudo.

Anónimo disse...

Ah ganda PS, a maternidade já era... Agora a luta é para encerrar a pediatria e também há-de ser ganha.
Ganda PS, ganda socras, ganda alegrete, ganda capital, quem quiser saúde que a pague, carago.

Anónimo disse...

Palhinhas Beatas e Ramelas, voçemessês estaão muito adiantados....isto agente precisa de engolir primeiro, evacuar depois e só depois de cheirarmos é que entendemos. Hoje apeteceu-me ser mal educadada. Está frio, venta e eu aqui de volta dos meus tricôs, e a pensar que rico povo este, ora então vamos lá: dez vezes um: dez; dez vezes dois: vinte; dez vezes três: trinta. Ai que saudades do tempo em que não era preciso pensar!