"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quarta-feira, 23 de junho de 2021

A BARRA, talvez o maior problema da Figueira...

«Segundo o que presidente da organização de produtores de peixe Centro Litoral, António Lé, afirmou ao DIÁRIO AS BEIRAS, os armadores decidiram utilizar o Porto de Pesca de Peniche “por falta de garantias de segurança” na costa da Figueira da Foz. O armador afiançou que ainda há troncos de madeira à deriva no mar, com a agravante de serem “invisíveis”
Pior cego é o que não quer ver. Em Abril de 2008, o Governo atacou o problema da barra da Figueira  como se não houvesse amanhã
A Figueira perdeu a bandeira do porto, pois este tornou-se o mais perigoso de Portugal para quem o demanda. A Figueira definha na definha na crise. O Governo na  resolução deste problema. É mau para todos...
Vou recuar até ao já longínquo ano de 1996. 
Manuel Luís Pata, no extinto Correio da Figueira, a propósito da obra, entretanto  concretizada, do prolongamento do molhe norte da barra da nossa cidade para sul, publicava isto.
“Prolongar em que sentido? Decerto que a ideia seria prolonga-lo em direcção ao sul, para fazer de quebra-mar.
Se fora da barra fosse fundo, que o mar não enrolasse, tudo estaria correcto, mas como o mar rebenta muito fora, nem pensar nisso!..
E porquê?... Porque, com  os molhes tal como estão (como estavam em 1996...), os barcos para entrarem na barra  vêm com o mar pela popa, ao passo que, com o prolongamento do molhe em direcção ao sul, teriam forçosamente que se atravessar ao mar, o que seria um risco muito grande...
Pergunto-me! Quantos vivem do mar, sem o conhecer?”
Ninguém ligou...

Sem comentários: