Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Digam lá que o governo não está atento!...





“A SONAE criticou as taxas sobre os sacos de plástico.
O governo desistiu das taxas sobre os sacos de plástico."

1 comentário:

Anónimo disse...

O problema dos sacos de plástico é uma caso sério. Como as bombas, as pistolas, tudo o que é periugoso.
Há coisas que postas na mão dos portugueses se transformam em armas letais.
O tuga encara dese logo o saco do supermercado como uma coisa que não presta, lixo, uma coisa com tempo de vida e utilidade muito reduzida. Após a sua função, dá-se-lhe a final, que é deitá-lo fora. O lixo, para o tuga, não é coisa para ser tratado, cuidado e depositado onde deve ser. É para ser deitado fora, longe da vista e do páteo. O cascalho e restos de construção, nem é para falar.
Isto dos recipientes e da reciclagem é coisa de betos e modas da cee. Um tuga dispõe-se a limpar uma arma e a primeira coisa que faz, é matar quem estiver mais perto. Com o lixo é o mesmo descuido, a mesma falta de educação. Trinta anos depois de uma "revolução" ainda é bonito escarrar no chão, palitar a dentuça e deitar beatas e papeis para o chão.
Atirar sacos de plástico, garrafas de água, copos de yogurte e fraldas de bébé pela janela fora, em andamento é o que de melhor se faz por aqui.
As bermas das "nossas" estradas e as por enquanto nossas praias são o espelho do desleixo, da falta de respeito pelo ambiente e pelos outros.
Quem não viu ainda o triste e deplorável espectáculo que é a quantidade imensa de detritos a boiar na água do nossa doca de pesca? Uma vergonha.
Mas quanto ao pagar ou não o saquito do super, a questão não se resolve assim. Isso só serve para angariar dinheiro para outros fins e deixar o problema ambiental tal como estava.
É preciso substituir o plástico por outro tipo de material, ou então acabar definitivamente com as embalagens, a pagar ou à borla, em tudo quanto é sítio comercial. Querem fazer propaganda, façam-na na rádio ou tv.
Ainda vamos ter muitos e bons anos de falta de educação e de civismo e creio que vai piorar. Enquanto não se punir a sério quem faz do mundo um boeiro, não vamos a lado nenhum.
Mas radicalmente, acabe-se com o saquinho. Nem de borla, nem a pagar. Daqui a dias, ninguém se esquece deles em casa.

E você, homem, anime-se.