sábado, 18 de junho de 2016

80 mil em defesa da escola pública

É hoje, pelas 14,30...

Concentração em Defesa da Escola Pública Gratuita e Qualidade
Vamos Exigir:
1. Que não haja duplicação no financiamento e que, no respeito pela Constituição se garanta o financiamento adequado à Escola Pública;
2. Que o apoio financeiro a colégios privados, através de contratos de associação, tenha lugar apenas quando a resposta pública é insuficiente, sendo nesse caso apoiados os alunos das áreas geográficas previstas nos contratos celebrados;
3. Que aos docentes dos estabelecimentos particulares e cooperativos, cujos horários de trabalho são ainda mais sobrecarregados, sejam aplicadas as mesmas normas que se aplicam no ensino público.

Outdoor´s 2009 - 4...

Basta de realidade. Venham mais sonhos! 

Mais de sete anos, 7, decorridos, está provado que não se recolocam coretos só com promessas eleitorais...
Uma coisa, é o que os políticos dizem que querem fazer nas campanhas eleitorais. 
Outra coisa, é o que os políticos realmente querem fazer depois de ganharem as eleições.
Se duvidas ainda existissem, João Ataíde, desde 2099, aí está para o provar.
Mas, esta "estória" do coreto, politicamente, tem contornos mais profundos...

Muitos de nós recordam-se certamente da música a emanar do coreto do jardim municipal rodeado de gente ávida de a ouvir. 
Era assim, de forma simples e acessível, que a música e a cultura chegava aos figueirenses. 

E hoje, como é? 
Hoje, há concertos no CAE para elites que os podem pagar. Há iniciativas elitistas na Biblioteca Municipal, para os políticos se mostrarem em "traje de luces" para o social... 
Pobre gente e pobre social!
Entretanto, a falta do coreto faz imenso jeito aos que se vão demitindo de mais uma das suas funções: tornar acessível de forma simples a cultura ao Povo...
Ter um povo descontraído e alarve dá muito jeito.

Longe vai o tempo em que a devolução do coreto constava das promessas eleitorais do actual presidente, João Ataíde. Longe vai o tempo, da promessa de concretização, assegurada pelo então vereador do pelouro do Ambiente, António Tavares, da requalificação, na altura ainda “em esboço”, que iria desembocar num projecto que “incluiria o coreto e um coberto vegetal que garantiria alguma intimidade, mas sem perturbar a segurança de quem procura o jardim”.

Nota de rodapé.
Continuação daqui, daqui e daqui. Continua...

A vida é real, mas poucas vezes nos faz sorrir...

"o Euro é uma espécie de Festival da Canção"...
"Antes de a coisa acontecer somos sempre favoritos, parece que este ano é que é, pois se até os do Liechenstein confidenciaram nos bastidores que sim senhores, este ano tínhamos ali bom material, pois se o artista levantou o polegar e sorriu, tudo bons indicadores..."
(e depois acontece a chamada vida real: até uma equipa de pontapé para a frente empatou connosco)...

Nota de rodapé.
Se eu tivesse mais idade e menos juízo, estaria mais logo em Paris, pois parece-me que a rapaziada precisa de mim para ganhar o jogo com a Áustria...
(e depois acontece a vida real... Se não acreditam, cliquem aqui.
"Eu não falo em ambição porque fica bem, porque me apetece ou para dar nas vistas. Eu tenho ambição porque temos razões para isso. Temos a equipa que muitos gostariam de ter, temos o talento que poucos têm, temos os melhores do mundo dentro e fora do campo, temos os que estão cá e os que estão lá, temos história, temos vontade de fazer história, temos competência, temos experiência, temos cabeça, temos pés, temos coração, temos tudo para ter Ambição." - Fernando Santos)