.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

FINDAGRIM: desta vez foi a chuva a afectar as contas

Notícia publicada na edição de hoje do Diário as Beiras:

"O município vai acrescentar cinco mil euros aos 40 mil de apoio financeiro já transferidos para a Feira Industrial, Comercial e Agrícola de Maiorca (FINDAGRIM), 10 mil daqueles suplementares, para ajudar a minimizar os prejuízos. A proposta para a atribuição daquele montante “excepcional” é votada, hoje, na reunião de câmara. Contas feitas, os apoios adicionais somam 15 mil euros. A autarquia atribui uma verba de 30 mil euros à organização, a cargo da Junta de Maiorca, além do apoio logístico. O protocolo prevê um montante adicional de 10 mil euros, para o caso do evento registar prejuízos, o que se verifica pelo segundo ano consecutivo. De acordo com as conta apresentadas pelos organizadores, a edição deste ano somou um saldo negativo de 28 mil euros. O pedido do reforço do apoio adicional, de acordo com a proposta que o executivo camarário incluiu na agenda da reunião de câmara, é sustentado com os prejuízos provocados pelo “clima chuvoso que ocorreu nos três primeiros dias” do certame, “prejudicando a presença de público que estaria prevista com base nos valores do ano anterior”

A FINDAGRIM 2019, certame que se realiza em agosto, contabilizou menos 10 mil euros de prejuízo do que no ano passado. Foram vendidas 11 mil entradas, número que ficou aquém das estimativas da organização, para o qual terá contribuído o mau tempo. O presidente da Junta de Maiorca, Rui Ferreira, vem afirmando que, sem mais apoio financeiro, a feira não é autos sustentável. Por isso, defende um maior envolvimento da autarquia. Para reduzir o risco de prejuízos, este ano, a organização optou por um cartaz menos dispendioso. 
Evento pode passar a bienal 
Entretanto, o executivo maiorquense estuda formas de manter o evento sem arruinar as finanças da junta e evitar sobrecarregar as despesas da câmara com a feira. Uma das soluções poderá passar por realizar a FINDAGRIM de dois em dois anos, em vez de ser anual. "

Nota.  
Ao que chegou a Feira Industrial, Comercial e Agrícola de Maiorca!
Da FINDAGRIM farta e generosa à FINDAGRIM dos pobrezinhos...
E que tal, piedosamente, exterminá-la?

Sem comentários: