.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

PS...

Em Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, presidente eleito pelo PS,  "roubou" vereadora ao PSD/CDS! 
Segundo o Diário de Coimbra, Alexandra Ferreira disse ontem “sim”, depois de um longo “namoro” de Emílio Torrão. A vereadora, eleita pela coligação “Mais por Montemor”, que já fazia parte do executivo liderado por Luís Leal, aceitou o desafio e vai assumir um lugar a meio tempo na Câmara. 
Depois de uma estratégia concertada com a CDU, logo no início do mandato, Emílio Torrão reforça agora o espectro político em que assenta a Câmara de Montemor, com um executivo que classifica de «salvação concelhia».
Para Abel Girão, que liderou a candidatura do PSD/PP, trata-se de “uma situação lamentável, mas é o culminar de um «namoro político» que foi iniciado há bastante tempo por Emílio Torrão”.
Para o actual vereador da oposição, o ocorrido é  “ainda é mais lamentável, porque foi dado o segundo lugar da sua lista a Alexandra Ferreira”.
Por seu turno, a Concelhia do PSD, em comunicado, escreve  que Alexandra Ferreira, citando a própria, aceitou o repto de Emílio Torrão por “motivos que se prendem exclusivamente com razões pessoais e salvaguarda de uma situação de desemprego”. E acrescenta: “estamos perante um caso gritante em que o interesse pessoal mediato se sobrepõe às ideias, às causas e convicções que defendeu e apregoou na linha da frente nos últimos cinco anos”.
Como dizia Sá Carneiro, fundador do partido: “a política sem risco é uma chatice e sem ética uma vergonha”.
Recorde-se: o PS, que ganhou as eleições em setembro com maioria relativa, fez um acordo pós-eleitoral com a CDU.
“Tal como disse na reunião de câmara, não compreendo esta tomada de posição, até porque as pessoas têm de ter caráter: se concorrem pelos partidos, devem-lhes respeito e consideração”, reagiu  Jorge Camarneiro, vereador comunista, em declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS.
O autarca  estranha esta situação, “uma vez que havia um acordo entre o PS e a CDU que estava a garantir a estabilidade da governação do município”.
A Concelhia da CDU vai reunir-se, para tomar uma decisão. Mas só depois de abordar o assunto com o Emílio Torrão, a quem já solicitou uma reunião.
Entretanto, Jorge Camarneiro adianta que a sua coligação está “disponível para assumir responsabilidades executivas com pelouros”.

1 comentário:

Anónimo disse...

O Sr. Dr. Emílio Torrão é um servo do povo e governa a Câmara do imponente concelho de Montemor-o-Velho (que está a dar uma autêntica abada a concelhos vizinhos como o da Figueira da Foz, com um desenvolvimento impar em todos os aspectos) centrando os interesses da sua actuação no comum dos munícipes. É, se assim se pode dizer, vinho de casta e pipa novas, um rompimento com o passado e quem se insurge contra esta prática de incorporar vereadores da oposição, certamente que está a sugerir subliminarmente que se tratará de algo a tender para o cinzento mas recorde-se que o Sr. Dr. Emílio Torrão é jurista de formação e um notável advogado e nunca se constou que tenha ganho um processo nas barras dos Tribunais com recurso a práticas duvidosas, daí que haja que aplaudir o Sr. Dr. Emílio Torrão. Este consenso alcançado em MMV é aquele que há muito o PR clama para Portugal a nível de Governo e oposição, sem que tal deva ser considerado um menage à trois da política. À Sr.ª Vereadora, envio os meus parabéns porque acima dos partidos, está o povo e quem votou nela foi o povo e não o partido e se de mais a mais se encontrava desempregada, até lhe calhou bem a nível pessoal, porque convenhamos, a classe política vive dos míseros salários pagos pelo Estado quando a eles tem direito...