.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Requalificação da envolvente do Forte Santa Catarina: a oposição a funcionar, ou isto não passa de "uma grande trapalhada"?.. Aguardam-se os novos capítulos!..

"Na última reunião de câmara de Julho, o sr. presidente informou-nos que seria necessário subtrair cerca de 40 lugares de estacionamento - na empreitada da requalificação da envolvente do Forte Santa Catarina - porque se tinha descoberto um 
maciço rochoso que impedia a implementação do parque conforme previsto. A outra opção seria gastar mais 50 Mil euros, para a remoção de rocha.
Ainda durante essa reunião tive oportunidade de pedir ao presidente que fossem pedidas responsabilidades ao projetista por não ter identificado o “tal” maciço rochoso.

Ainda assim e porque não fiquei convencido das explicações dadas em reunião de câmara, fui ao local com uma planta da implementação da obra. Percebi então que o que estava em causa não era nenhum maciço rochoso, mas sim o facto de terem implementado parte do parque de estacionamento em cima do inicio do molhe norte. 
Ora, como se impunha, levantei ontem novamente a questão em reunião de câmara pedindo explicações ao presidente da câmara sobre esta nova “trapalhada” em que se enredaram. Na tentativa de esclarecer, o presidente adensou ainda mais a nebulosa que envolve toda esta questão, quando vem confirmar a posição de um técnico responsável pela obra, em que afirma que a responsabilidade de tudo isto é do empreiteiro porque deveria estar consciente da necessidade de retirar a pedra que obstaculizava a implantação do parque.

Ou seja, há um mês não era possível desenvolver a obra conforme projetado porque se tinha descoberto um maciço rochoso, mais tarde confrontados com a constatação que fiz no local, que afinal “o tal maciço” era o inicio do molhe norte, vem agora dizer que afinal sempre esteve previsto a remoção das pedras e que a culpa é do empreiteiro. Que grande trapalhada..."

Sem comentários: